O ponto de um conto.


Um dos pontos em que muita gente concorda diz respeito ao tamanho do conto: não deve ser muito longo – pois transformar-se-ia numa novela; nem tão curto – porque corre-se o risco de transformá-lo em anedota. Poe falava de tamanho em termos de tempo de leitura. Para ele o conto ideal ocuparia o leitor entre 30 minutos e duas horas. Que se pudesse, enfim, ler de uma assentada só.

Segundo outras defenições, o conto não deve ocupar mais de 7.500 palavras. Actualmente entende-se que pode variar entre um mínimo de 1.000 e um máximo de 20.000 palavras.O romance Vidas secas, Graciliano Ramos (1892-1953), A festa, Ivan Ângelo e alguns romances de Bernardo Guimarães (1825-1884) e Autran Dourado, podem ser lidos como uma série de contos. Também Memórias Póstumas de Brás Cubas e Quincas Borba, Machado de Assis, O Processo, Kafka, são constituídos por pequenos contos. São os chamados romances desmontáveis.

Assis Brasil vai mais longe ao afirmar que Grande Sertão: veredas, Guimarães Rosa (1908-1967), é um conto alongado, pois o escritor tê-lo-ia como narrativa curta. O Grande Sertão, como sabemos, tem mais de 500 páginas. Todas essas colocações demonstram como é difícil definir o conto; mesmo assim, quem o conhece, não o confunde com outro gênero.

Neste século podemos incluir entre os grandes: O. Henry, Anatole France, Virgínia Woolf, Katherine Mansfield, Kafka, James Joyce, William Faulkner, Ernest Hemingway, Máximo Gorki, Mário de Andrade, Monteiro Lobato, Aníbal Machado, Alcântara Machado, Guimarães Rosa, Dalton Trevisan, Rubem Fonseca, Osman Lins, Clarice Lispector, Jorge Luís Borges, Lima Barreto.

Outros nomes importantes do conto no Brasil: Julieta Godoy Ladeira, Otto Lara Resende, Manoel Lobato, Sérgio Sant’Anna, Moreira Campos, Ricardo Ramos, Edilberto Coutinho, Breno Accioly, Murilo Rubião, Moacyr Scliar, Péricles Prade, Guido Wilmar Sassi, Samuel Rawet, Domingos Pellegrini Jr, José J. Veiga, Luiz Vilela, Nelson Rodrigues, Sergio Faraco, Victor Giudice, Lygia Fagundes Telles, entre outros. Em Portugal destaca-se, entre outros, Eça de Queirós.

Para um escritor que faz da sua escrita, arte, a trama/o enredo não têm muita importância; o que mais importa é como (forma) contar e não o que (conteúdo) contar. Borges dizia que contamos sempre a mesma fábula. Julio Cortázar (1914-1984) diz que não há temas bons nem temas ruins; há somente um tratamento bom ou ruim para determinado tema. (“Alguns aspectos do conto”, in Valise de cronópio). Claro que há que ter cuidado com o excesso de formalismos para não virar personagem daquela piada: um escritor passou a vida toda trabalhando as formas para criar um estilo perfeito para impressionar o mundo; quando conseguiu alcançá-lo, descobriu que não tinha nada para dizer com ele.

Agora me conte sobre um conto?

foto por Isabel Silva / 1000 imagens

Arte Escrita

"Os governos suspeitam da literatura porque é uma força que lhes escapa". (Émile Zola)

Do Latim: 'literratura', é a arte de compor escritos artísticos; o exercício da eloquência e da poesia; conjunto de produções literárias de um país ou de uma época; carreira das letras.

Mais produtivo do que tentar definir Literatura seja, talvez, encontrar um caminho para decidir o que torna um texto, em sentido lato, literário. A definição de literatura está comumente associada à idéia de estética, ou melhor, da ocorrência de algum procedimento estético. Um texto será literário, portanto, quando consegue produzir um efeito estético, ou seja, quando proporciona uma sensação de prazer e emoção no receptor. A própria natureza do caráter estético, contudo, reconduz à dificuldade de elaborar alguma definição verdadeiramente estável para o texto literário. Para simplificar, podemos exemplificar através de uma comparação por oposição. Vamos opor o texto científico ao texto artístico: o texto científico emprega as palavras sem preocupação com a beleza, o efeito emocional, mas, pelo contrário, essa será a preocupação maior do artista. É óbvio que também o escritor busca intruir, procura perpassar ao leitor uma determinada idéia; só que, diferentemente do texto científico, o texto literário une essa necessidade de incluir a necessidade estética que toda obra de arte exige. O texto científico emprega as palavras no seu sentido dicionarizado, denotativamente, enquanto o texto artístico busca empregar as palavras com liberdade, preferindo o seu sentido conotativo, figurado. Então concluindo, o texto literário é aquele que pretende emocionar e que, para isso, emprega a língua com liberdade e beleza, utilizando-se do sentido conotativo ou metafórico das palavras.

A compreensão do fenômeno literário tende a ser marcada por alguns sentidos, alguns marcados de forma mais enfática na histórica da cultura ocidental, outros diluídos entre os diversos usos que o termo assume nos circuitos de cada sistema literário particular.

Assim, por exemplo, encontramos uma concepção "clássica", surgida durante o Iluminismo (que podemos chamar de "definição moderna clássica", que organiza e estabelece as bases de periodização usadas na estruturação do cânone ocidental); uma definição "romântica" (na qual a presença de uma intenção estética do próprio autor torna-se decisiva para essa caracterização); e, finalmente, uma "concepção crítica" (na qual as definições estáveis tornam-se passíveis de confronto, e a partir da qual se buscam modelos teóricos capazes de localizar o fenômeno literário e, apenas nesse movimento, "defini-lo"). Deixar a cargo do leitor individual a definição implica uma boa dose de subjetivismo (postura identificada com a matriz romântica do conceito de "Literatura"); a menos que se queira ir às raias do solipsismo, encontrar-se-á alguma necessidade para um diálogo quanto a esta questão. Isto pode, entretanto, levar ao extremo oposto, de considerar como literatura apenas aquilo que é entendido como tal por toda a sociedade ou por parte dela, tida como autorizada à definição. Esta posição não só sufocaria a renovação na arte literária, como também limitaria excessivamente o corpus já reconhecido.

De qualquer forma, destas três fontes (a "clássica", a "romântica" e a "crítica") surgem conceitos de literatura, cuja pluralidade não impede de prosseguir a classificações de gênero e exposição de autores e obras. Agora me responda.

Qual livro te marcou mais até hoje?

foto por Jean-Honoré Fragonard - la lectrice ("A leitora"),

Acordando para o sonho.

Um sujeito comum as voltas de sua necessidade alheia verifica a vida como és hoje, e a vê de sua maneira, talvez a única que entenda ou a única que quer aceitar.Quando desperto de anos de um época onde a linguagem era simples, a vida era em um ritmo mais lento, ou pelo menos se parecia assim, assusta-se ao ver o que lhe aconteceu ao redorAssim com olhos de espanto, curiosidade e espanto pensa em uma súbita imagem televisiva, o mesmo ser começa a pensar mais rapidamente sobre como voltar a seu passado. Mas ao nada lhe vem a mente e se lembra de um passado que nunca existiu , mas e agora onde estas?Pensando assim o homem se assusta, acorda nem estado novo de mentalização e vivência. Não se lembra de como perdeu tanta informação e acontecimentos, pois nao sabe de que época é...

O que tens? o que quer? o que pensa? o que ira fazer quanto a isso?

Perguntas que essa mesma criatura se faz mas sem poder responder, sem saber por onde começar a entender, procura de um lado, verifica outro, se vê em um cubo infinito onde nao a paredes mas mesmo assim se sente acuado. Por onde vou?Ainda confuso tenta procurar uma semelhança amiga, seria um esperança fácil pois a mesma poderia lhe dizer tudo o que acorreu, e porque ele foi privado de ver tudo o processo de criação, e mudanças de tudo a sua volta. Nada encontrou...

Começando a se perguntar o porque nada vê, nada percebes, nada sente, nada é do jeito que a realidade sempre lhe mostrou, uma coisa totalmente nova aconteceu... uma gota de água caindo de uma arvore tão velha quanto o próprio tempo.Essa mesma lhe sorri e diz, "Não se desespere, não estais sozinho..." nada mais lhe diz e a criatura começa a sentir o brisa em sua face, seus pés tocando a grama, seus olhos tentando alcançar um horizonte distante, seu coração pulsando pelo corpo, e uma felicidade imensa em saber que não és o único por ali a sentir aquilo.Mesmo o outro ser seja de outra natureza, sente o mesmo, pensa o mesmo e o ajuda a entender o porque tudo aquilo sente, mas a duvida fica como chegou até ali. Passando de um lugar para o outro saindo e entrando de uma megalopole a uma natureza tão viva quanto o próprio mundo que ele habita...

Assim se faz, assim se sente, assim supera, assim pensa, assim vive...passado mentiroso e/ou futuro verdadeiro, o que será?!

Psiu, acorde já estas na hora...
.....................................................................? (insira sua pergunta ao lado)

foto por Carlos Matos / 1000 Imagens

Espectadores do amanha.


Vendo tv hoje, lembro de um ontem que não existia até então, com noticias sobre violencia em massa, contra inocentes que nunca souberam o por que de tudo. Acho uma covardia dos responsaveis, acho um desrepeito da parte dos que não fazem nada, e sempre rezo por aqueles que ficaram, e aidna sem respostas sofrem pelos que ja se foram.

A Violencia se tornou um meio de resposta entre um grupo de pessoa que se tornaram criminosas pelo fato de não serem ouvida pela sociedade. Criados com a finalidade do puro egoismo de obter o que querem, seja para eles ou para uma propria noção, digo egoista por que todos somos um, temos um rotulo chamado HUMANIDADE, onde todos deveriam nos ajudarmos mais.

Não acredito que não vemos que a resposta esta em nossas mentes, corações e sentimentos, nao adianta ficar de braços cruzados e se acostumar com o que acontece fora de casa. Tenhamos piedade para aqueles que não tem como se devender, tenhamos sensibilidade para aqueles que querem ajuda. Agora para entender o porque conheçamos o significado disso.

O Terrorismo é o uso de violência, física ou psicológica, por indivíduos, ou grupos políticos, contra a ordem estabelecida. Entende-se, no entanto, que uma dada ordem pública também possa ser terrorista na medida em que faça uso dos mesmos meios, a violência, para atingir seus fins. O termo em si diz muita coisa, mas não sabemos exatamente como nos portar durante essa situação, nõs brasileiros nao vivemso esse terrorismo em massa que acontece a fora, mas devemos nos prevenir?!

A guerra de guerrilhas é frequentemente associada ao terrorismo uma vez que dispõe de um pequeno contingente para atingir grandes fins fazendo uso cirúrgico da violência para combater forças maiores. Seu alvo, no entanto, são forças igualmente armadas procurando sempre minimizar os danos a civis para conseguir o apoio destes. Assim sendo, é tanto mais uma tática militar quanto menos uma forma de terrorismo. Ou seja o que acontece a anos no mundo afora. Tendo em vista as notáveis ações dos últimos anos, o terrorismo ganhou significados variados e polivalentes. O grande fluxo de informações e/ou imagens geradas por esse tipo de comportamento tem tido grande influência na construção desses significados. É Justamente por isso que pergunto se devemos nos protejer, de uma coisa que não existe por assim dizer, a palavra terrorismo é de facil entendimento para nós no sentido de sem senso (eles estão apenas latindo...).

Terrorismo indiscriminado: São todas as acções que se destinam a fazer um dano a um agente indefinido ou irrelevante. Não existe um alvo estabelecido previamente. Este visa a propagação do medo geral na população, visa cansar a retaguarda, vencer por um sentimento geral de instabilidade. Exemplos: A Colocação de bombas em cafés, parques de estacionamento, metrô. Esse tipo de terrorismo é o pior, mas o mais pratico para os mesmos, sendo que o panico geral, gerá um situação otima para eles, na qual são treinados para andar ao meio do caos e conseguir o que querem, só que vale lembrar que esse estilo é o mais covarde que existe, pois em muitas vezes as bombas são realmente verdadeiras.

Terrorismo Seletivo: visa atingir diretamente um indivíduo. Seletivo significa que visa um alvo reduzido, limitado, específico e conhecido antes de efectuar o ato. Visa a chantagem, vingança ou eliminação de um obstáculo. Considera-se terrorismo porque tem efeitos camuflados, e efeitos políticos, pretende pôr em causa uma determinada ordem. Exemplo: Ku Klux Klan, ETA, Al Qaeda, IRA, Frente de Libertação Islâmica, Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), Exército de Libertação Nacional na Colômbia, Grupo Combatente Islâmico Marroquino, Separatistas Chechenos, Brigada dos Mártires Al Aqsa e Hezbollah por vez aplicam este terrorismo. Ou seja o mais comum que acontece também em SP com o PCC. Agora serei breve na pergunta...

Qual ato terrorista te marcou mais até hoje, visto pela TV?


foto por Bruno Dias / 1000 Imagens


(palavras de Bruno Dias sobre a foto :: O menino do meio chama-se Ralifa e é um dos meninos de areia.Vive num campo de refugiados no deserto Argelino de Tinfouf e é Saharaui.Todos os anos conseguimos com algum esforço que venha mais alguns meninos passar férias a Portugal.São três meses de pura felicidade, onde a comida e agua abundam ao contário do sitio inóspito onde vivem.Estes meninos dão valor a coisas simples como abrir uma torneira ou dar um passeio pela praia.Este ano contamos com mais algumas crianças, mas ao certo não sabemos quantas.Caso alguém queiram ficar com algum destes meninos durante dois meses, enviem-me um email para combinarmos.Quantas mais vierem, maior será o sorriso.Obrigado
Esta foto foi tirada em 2002. Fica a mensagem. Obrigado
)

15.3.3


Bom pelo menos para conhecer um pouco sobre o que acontece em São Paulo nesses ultimos meses, acredito que conhecimento sobre o lado oposto é ter o poder de saber qual são suas pretenções e a finalidade disso tudo...

O Primeiro Comando da Capital, também conhecido como PCC, é uma organização considerada ilegal pelo Estado brasileiro, composta para defender os direitos da massa carcerária brasileira, surgida no início dos anos noventa no Centro de Reabilitação Penitenciária de Taubaté, para onde eram transferidos prisioneiros considerados de alta periculosidade pelas autoridades legais. O PCC possui seu próprio estatuto, o chamada Estatuto do PCC, onde estão os prescritos ditos a razão de ser desta organização.

O PCC foi fundado em 31 de Agosto de 1993 por oito presos no Anexo da Casa de Custódia de Taubaté (130 km de São Paulo), chamada de o "Piranhão", na altura a prisão mais segura do Estado de São Paulo.

O grupo iniciou-se durante um jogo de futebol, quando alguns detentos brigaram e, como forma de escapar da punição -pois várias pessoas haviam morrido- resolveram iniciar um pacto de confiança.

Era constituído por Misael Aparecido da Silva, o "Misa", Wander Eduardo Ferreira, o "Eduardo Cara Gorda", António Carlos Roberto da Paixão, o "Paixão", Isaías Moreira do Nascimento, o "Isaías Esquisito", Ademar dos Santos, o "Dafé", António Carlos dos Santos, o "Bicho Feio", César Augusto Roris da Silva, o "Cesinha", e José Márcio Felício, o "Geleião".

O PCC, que foi também chamado no início como Partido do Crime e de 15.3.3, por causa da ordem das letras "P" e "C" no alfabeto, afirmava que pretendia "combater a opressão dentro do sistema prisional paulista" e "para vingar a morte dos 111 presos", em 2 de Outubro de 1992, no "massacre do Carandiru", quando a Polícia Militar matou presidiários no pavilhão 9 da extinta Casa de Detenção de São Paulo.

O grupo usava o símbolo chinês do equilíbrio 'yin-yang', a preto e branco, foi adoptado como emblema da facção, considerando que era "uma maneira de equilibrar o bem e o mal com sabedoria". Em Fevereiro de 2001, Sombra tornou-se o líder mais expressivo da organização ao coordenar, por telefone celular, rebeliões simultâneas em 29 presídios paulistas, que se saldaram em 16 presos mortos.

Idemir Carlos Ambrósio, o "Sombra", também chamado de "pai", foi espancado até à morte no Piranhão cinco meses depois por cinco membros da facção numa luta interna pelo comando geral do PCC. O PCC começou então a ser liderado por "Geleião" e "Cesinha", responsáveis pela aliança do grupo com a facção criminosa Comando Vermelho (CV), do Rio de Janeiro.

"Geleião" e "Cesinha" passaram a coordenar atentados violentos contra prédios públicos, a partir do Complexo Penitenciário de Bangu, onde se encontravam detidos. Considerados "radicais" por uma outra corrente do PCC, mais "moderada", Geleião e Cesinha usavam atentados para intimidar as autoridades do sistema prisional e foram depostos da liderança em Novembro de 2002, quando o grupo foi assumido pelo actual líder da organização, Marcos Willians Herbas Camacho, o "Marcola". Além de depostos, foram jurados de morte sob a alegação de terem feito denúncias à polícia e criaram o Terceiro Comando da Capital (TCC).

Sob a liderança de Marcola, também conhecido como Playboy, atualmente detido por assalto a bancos, o PCC terá participado no assassinato, em Março de 2003, do juiz-corregedor António José Machado Dias, o "Machadinho", que dirigia o Centro de Readaptação Penitenciária (CRP) de Presidente Bernardes (589 km de São Paulo), hoje a prisão mais rígida do Brasil e para onde os membros do PCC temem ser transferidos.
A facção tinha recentemente apresentado como uma das suas principais metas promover uma rebelião de forma a "desmoralizar" o governo e destruir o CRP, onde os detidos passam 23 horas confinados às celas, sem acesso a jornais, revistas, rádios ou televisão.

Para conseguir dinheiro para financiar o grupo, os membros do PCC exigem que os "irmãos" (os sócios) paguem uma taxa mensal de 50 reais, se estiverem detidos, e de 500, se estiverem em liberdade. O dinheiro é usado para comprar armas e drogas, além de financiar acções de resgate de presos ligados ao grupo.

Para se tornar membro do PCC, o criminoso precisa ser "batizado", ou seja, apresentado por um outro que já faça parte da organização e cumprir um estatuto de 16 itens, redigido pelos fundadores. Diante do enfraquecimento do CV do Rio de Janeiro, que tem perdido vários pontos de venda de droga no Rio, o PCC aproveitou para ganhar campo comercialmente e chegar à actual posição de maior facção criminosa do país.

Agora me diga, qual a sua opinião sobre o assunto?

foto por Rui Monteiro / 1000 Imagens

PPCC - Eleições 2006?

Terceira vez?..ja da até pra duvidar...



by ANGELI

Caminhos politicos.


Seguindo um pensamento sobre o filme brasileiro ZUZU ANGEL (2006), e após longas conversas sobre ditadura, e afins, pensei que seria interessante colocar sobre o filho de ZUZU, rapaz com codinome "PAULO". Sugiro que todos que lerem esse texto, procure mais sobre o assunto, eu também irei colocar aqui alguns temas sobre ditadura, democracia e pensamentos atuais.

Stuart Edgar Angel Jones, professor e estudante de dupla nacionalidade (brasileira e norte-americana) foi um militante do MR-8, organização esquerdista brasileira, dado como desaparecido desde 1971, aos 26 anos de idade.

Nasceu a 11 de janeiro de 1946, na Bahia, filho de Norman Angel Jones e Zuleika Angel Jones, mais conhecida como Zuzu Angel, figurinista que morreu em 1976 em circunstâncias ainda não esclarecidas enquanto investigava o desaparecimento do filho.
Stuart, estudante de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, foi casado com Sônia Maria Morais Angel Jones também morta pela repressão. Ele foi preso no Grajaú (próximo à Av. 28 de Setembro), no Rio de Janeiro, em 14 de junho de 1971, por agentes do Centro de Informações da Aeronáutica (CISA), para onde foi levado e torturado.

Após inúmeras sessões de tortura, foi amarrado à traseira de um jipe da Aeronáutica e arrastado pelo pátio com a boca colada ao cano de descarga do veículo, o que ocasionou sua morte por asfixia e intoxicação por monóxido de carbono.

As torturas teriam sido presenciadas por outro preso político, Alex Polari de Alverga que, através de uma carta, informou Zuzu Angel das circunstâncias da morte de Stuart. Baseada na carta de Alex e em outras evidências, Zuzu denunciou o assassinato de Stuart ao senador Edward Kennedy, que levou o caso ao Congresso dos Estados Unidos.
A mãe do estudante morto entregou também ao Secretário de Estado dos EUA, Henry Kissinger - quando este esteve no Brasil, em 1976 — uma carta pessoal, a tradução da carta de Alex e um exemplar do vigésimo volume da série ‘História da República Brasileira’, de Hélio Silva, onde o autor relata a morte do estudante.

Segundo o historiador, o afastamento da 3ª Zona Aérea e posterior reforma do brigadeiro João Paulo Penido Burnier, principal responsável pelo crime hediondo, e a própria destituição do então Ministro da Aeronáutica, Márcio Souza e Melo, estiveram relacionados com os protestos norte-americanos pela morte de Stuart.

O caso Stuart Angel mistura-se com o plano de utilização do PARASAR para eliminação de lideranças políticas, concebido pelo brigadeiro Burnier em 1968. O plano foi denunciado pelo capitão Sérgio Miranda Ribeiro de Carvalho que, por este motivo, foi punido com base no Ato Institucional n. 5 (AI-5).

Todo esse texto teve interpretação no filme então indico assisti-lo. Conversando com uma amiga sobre o assunto tivemos revelações sobre o assunto, veja bem, nós dois somos pensadores diferentes sobre politica, ela gosta de partes da ditadura e eu partes da democracia (então imagine como foi calorosa o pequeno debate), mas acho que no fim sabemos que queremos extrair um pouco do dois para fazer um pais melhor, com igualdade e juntiça a todos. Agora uma duvida de todos os interesses, e aproveitando que temos nossa liberdade hoje de publicações de ideias e pensamentos, me diga sua opinião sincera:

democracia ou ditadura?

foto por :: Paulo Marques / 1000 Imagens

( Palavras do autor da foto:: Esta foto para mim foi a abertura perfeita. Em meio à neblina, o incerto, os trilhos férreos sem começo e sem fim, rasgando a mata e as serra. Ao lado as cruzes, de sacrifícios e perdas, que vão ficando pelo caminho.
Tudo no preto e branco e principalmente com os grãos. Átomos que se juntam formando vivências e sentimentos.)

Sonho livre...ao ar.

A Viação Aérea Rio-Grandense (Varig) umas das três companhias aéreas com grande competividade no setor de transporte aéreo brasileiro, tendo diferentes ofertas de rotas internacionais, seguida pela TAM e GOL Transportes Aéreos . O início da Varig remonta a 7 de maio de 1927, durante encontro da Associação Comercial de Porto Alegre. Foi lá que Otto Ernst Meier, um imigrante alemão, assinou o certificado declarando que a Varig era uma companhia aérea, a primeira companhia aérea do Brasil

O primeiro avião da Varig foi um Dornier Do J Wal, apelidado de Atlântico, de nove passageiros, considerado um dos aviões mais modernos da época. Seu primeiro funcionário, Ruben Berta, mais tarde tornou-se o presidente da empresa e guiou a Varig para tempos de grande expansão, quando ela absorveu o Consórcio Real-Aerovias e herdou as linhas européias da Panair do Brasil, então a maior companhia aérea do país, fechada por decreto do governo militar. Ele deixou seu cargo quando faleceu, em 1966.

O primeiro vôo da Varig foi de Porto Alegre a Rio Grande, no mesmo estado, e parou em Pelotas.

No início operava principalmente no sul e sudeste do Brasil. Sua primeira rota internacional foi para Montevideo que iniciou operação em 5 de agosto de 1942. Os vôos transatlânticos começaram em Fevereiro de 1965 quando o governo militar resolveu desativar a Panair do Brasil. Em junho de 1975 assumiu o controle acionário da Cruzeiro do Sul que foi completamente integrada a Varig em janeiro de 1993.

A companhia aérea voa com vários tipos de aeronaves, como Boeing 737, Boeing 757, Boeing 767, Boeing 777 e MD-11. É membro da Star Alliance, e tem duas subsidiárias brasileiras: a Nordeste e a Rio-Sul. Em 2004, a Varig decidiu incorporar completamente as duas subsidiárias regionais (Nordeste e Rio-Sul) na companhia, que já estavam usando logotipos e pinturas bastante similares nas aeronaves

:::::::::: Crise

Há mais de quinze anos a empresa apresenta balanços financeiros em vermelho, além de ter mudado de comando mais de cinco vezes nos últimos seis anos.

Com dívidas estimadas em mais de 7 bilhões de reais, as dificuldades enfrentadas pela empresa são, supostamente, reflexo do congelamento das tarifas aéreas nas decadas de 80 e 90, complementadas por uma administração ineficiente.

No começo do mandato de Lula em 2003, o governo tentou promover uma fusão entre a Varig e a TAM, parte de um projeto para reduzir os custos operacionais de um setor que ainda sofria as consequências dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001. A cogitada fusão, no entanto, não acontece, e o prejuízo maior fica com a Varig, que perde a liderança do mercado de vôos domésticos para a TAM.

Em 22 de junho de 2005 a justiça brasileira deferiu o pedido de recuperação judicial protocolado em 17 de junho do mesmo ano pela Varig (a recuperação judicial é o instrumento que substituiu a concordata com a entrada em vigor da nova Lei de Falências em junho de 2005 no Brasil). Com essa decisão, a empresa teve seus bens protegidos de ações judiciais por 180 dias, mas dispôs de um prazo de 60 dias para apresentar um plano de viabilidade e de recuperação a seus credores. As dívidas da Varig, inscritas no balanço de 2004, chegavam a 5,7 bilhões de reais.

Em novembro de 2005 a TAP, em conjunção com investidores brasileiros, formalizam a compra das subsidiárias Varig Log e VEM, garantindo o pagamento de credores internacionais. No mês seguinte, a Fundação Rubem Berta (FRB) fecha um acordo para transferir para a Docas Investimentos 67% das ações ordinárias da FRBPar, proprietárias da Varig. A Justiça do Rio de Janeiro, no entanto, suspenda a operação, justificando que a troca de controle teria de passar primeiro pela aprovação dos credores. A FRB é afastada da gestão da Varig, enquanto os credores rejeitam a oferta da Docas Investimentos e aprovam um plano de reestruturação da companhia.

Por meio do plano de emergência - elaborado com a finalidade de sustentar o fluxo de caixa da empresa até meados de julho/agosto de 2006 - a Varig tenta conseguir mais prazo com os credores para quitar suas dívidas. Em abril de 2006 a Varig Log oferece 350 milhões de dólarres pela empresa, mas a proposta é recusada pelos credores. Uma nova oferta de 400 milhões é feita mas, sem uma definição da empresa, retirada no mês seguinte.

No dia 9 de maio uma nova assembléia dos credores define os termos de leilão da Varig, que poderá ser vendida integralmente (a Varig Operações, que cuida dos vôos nacionais e internacionais) ou separada (a Varig Regional, que cuida das operações domésticas). Os preços mínimos são, respectivamente, US$ 860 milhões e US$ 700 milhões.

Após outra proposta de compra feita pela Varig Log, uma nova assembléia foi realizada em 17 de junho de 2006. Os credores da classe 1 da empresa, formada pelos trabalhadores, aprovaram a oferta. Mas os da classe 2, que conjuga fundos de pensão e o Banco do Brasil, e da classe 3, reunindo empresas públicas e de leasing, rejeitaram a proposta. Foram mais de 20 votos contrários só na classe 3, a maior parte deles advindos de empresas estrangeiras. Este resultado inviabilizou a realização de um novo leilão da Varig, e como consequência a justiça pode vir a decretar a falência da empresa.

Em 19 de julho de 2006 a empresa foi vendida por US$ 24 milhões (R$ 52,3 milhõe no cambio da época), em leilão, para a VarigLog, que assumiu R$ 245 milhões em bilhetes emitidos e o passivo (milhas acumuladas) de R$ 70 milhões do Smiles. A VarigLog se comprometeu a emitir debêntures (títulos de dívida) de R$ 100 milhões, que podem ser convertidas em 10% de participação na nova empresa para funcionários e credores com garantias, como o Aerus, fundo de pensão dos empregados da empresa. A VarigLog foi a única empresa a participar do leilão. Segundo analistas, o risco de sucessão de dívidas foi o principal fator que afastou o interesse de outras empresas nos leilões da Varig. Um dos deveres do novo dono é garantir um fluxo de caixa anual de R$ 19,6 milhões usado para pagar os credores da "velha Varig" nos próximos 20 anos.

Algumas curiosidades:

- A Varig conquistou o título de melhor pintura áerea do mundo. Sua pintura consiste em duas cores: o azul e o branco, junto com sua famosa estrela no leme vertical.

- Varig foi uma das primeiras companhia aérea do Brasil, depois das empresas aéreas pioneiras da época de sua fundação Panair do Brasil e Serviços Aéreos Cruzeiro do Sul S.A.

- Os primeiros pilotos da Varig eram todos alemães

Agora minha opinião sobre o assunto é bem direcionado aos mais de 5,000 empregados demitidos, infelizmente otimos profissionais que não sobreviveram a crise, coloca o texto sem tomar lados ou partidos, e sem criticas ou observações, apenas para fato jornalistico mesmo, e tambem para darmos o nosso total apoio aos funcionario da VARIG que ficaram tantos anos em uma empresa na qual infelizmente nao sobreviveu (por assim dizer) aos dias atuais.

Minha pergunta é diferente dessa vez...

Você ja viajou pela VARIG?

foto por Judith Tomaz / 1000 Imagens

(palavras do autor ::
*Ode a um Mundo Novo*
Recusar a homogeneidadeDo pensamento...

Renascer num MultiUniverso
Como na experiência das bolhas de sabão...
Uma criança acredita nessa gramática
Fica em êxtase com a cor dos sonhos...
São fonemas Alquímicos...
metáforas de alegriaBrincam com o Sol na oratória da Luz
E desfazem-se no ar...
a Luz é um paradoxo
Não repousa...
Não se deixa apanhar...
é uma asserçãoA sua velocidade não sofre alterações...
mas deforma
O que limita a Terra e a sua trajectória geométrica
Obriga-a a mover-se de forma circular... não éUma forma visível...
é uma curvatura deformante
E a atracção da gravidade... o seu subproduto.
Neste Universo... (nascido de outro?)...
(...)E as teorias rudimentares...
Hoje é possível
Detectar Sinfonias na Vibração das ondas de
Uma Partitura Cósmica... e as notas musicais
São partilhas Subatómicas...
Electrões pontuais
Submetidos aos espremedores de Átomos.
É a Morte do Universo... AgonizanteNum "big freze" congelado...
QuandoDescer a temperatura ao zero total... nãoHaverá mais vida...
Só uma fuga para a frenteRumo a novas galáxias...
(...)São precisos "Portais Dimensionais" para que as
Sementes das flores entrem no Hiperespaço
Procurando a vertigem dos Corpos Celestes.
Mas na sombra não se vêem as aberturas E as flores
Preferem ficar em casa... Num espaço líquido...
TALVEZ CONGELADAS... PARA ABRIR NO ALVOR... DE UM NOVO MUNDO!!!


Judith Tomaz
*
Este trabalho é dedicadoa uma Pessoa muito Especial:
Ao Guia-Intérprete eTripulante da TAP: LUQUÉSIO MELO...
***** )