Bond, James Bond.


James Bond, também conhecido pelo código 007, é um agente secreto britânico fictício, criado pelo escritor inglês Ian Fleming em 1953. Bond trabalha pelo serviço de espionagem e inteligência MI-6. James Bond foi primeiramente apresentado ao público em livros de bolso na década de 50 e logo tornou-se um sucesso de vendagem entre os britânicos. Logo tornou-se uma grande franquia no cinema, com 20 filmes desde 1962 (e o 21o planejado para 2007). James Bond também apareceu em quadrinhos, videogames, e se tornou alvo de muitas paródias.

Em suas doze aventuras originais completas, entre elas Casino Royale, Dr. No, Goldfinger e Octopussy, Bond era descrito como um homem alto, moreno, de olhar penetrante, viril, porte atlético e sedutor na casa dos trinta anos, apreciador de vodka-martini (batido, não mexido) exímio atirador com licença 00 para matar (sétimo agente desta categoria especial, daí seu código 007) e perito em artes marciais, que combatia o mal pelo mundo (muitas vezes representado pela URSS naqueles tempos de Guerra Fria) a serviço do governo de Sua Majestade, sempre com charme, elegância e cercado de belas mulheres.

O primeiro livro estrelado por James Bond foi Casino Royale, lançado em 1952. Daí, todo ano Ian Fleming ia pra sua casa na Jamaica, chamada GoldenEye, para escrever um novo livro, até sua morte em 1964. Após a morte de Fleming, em 1968, Kingsley Amis, amigo de Fleming (sob o pseudônimo Robert Markham) escreveu Colonel Sun. Em 1973, John Pearson lançou James Bond: The Authorised Biography of 007, uma "autobiografia" do espião. Nas décadas de 80 e 90, John Pearson escreveu 14 livros originais até se aposentar por problemas de saúde. Raymond Benson seguiu-o com 9 livros, e 3 histórias curtas. Se retirou em 2002, e desde então nenhum livro novo foi lançado. Além disso, filmes com enredos originais receberam novelizações. The Spy Who Loved Me e Moonraker foram escritos pelo roteirista Christopher Wood. Os "escritores oficiais" assinaram as seguintes: John Pearson (Licence to Kill e GoldenEye) e Raymond Benson (Tomorrow Never Dies, The World Is Not Enough e Die Another Day).

Os filmes de 007 foram produzidos inicialmente por Harry Saltzman e Albert Broccoli, detentores dos direitos cinematográficos de quase toda a obra já escrita por Ian Fleming e donos da produtora EON (Everything or Nothing). Em 1975, Saltzman abandonou a franquia. Desde 1995, os filmes são produzidos pela filha de Albert, Barbara Broccoli, e seu meio-irmão Michael G. Wilson.

James Bond já foi interpretado por 6 atores:
Sean Connery (1962–1967; 1971)
George Lazenby (1969)
Roger Moore (1973–1985)
Timothy Dalton (1987–1989)
Pierce Brosnan (1995–2002)
Daniel Craig (2006–presente)

Válido como curiosidade, James Bond também foi vivido no cinema pelo ator inglês David Niven, na primeira versão cinematográfica de Casino Royale. Todavia, tal filme não pertence à série "oficial". Curioso, também é o fato de que o mencionado ator era o favorito de Ian Fleming para interpretar o espião, devido às suas características físicas e aparência elegante, refinada. Em 1962, foi lançado o primeiro filme, Dr. No (007 Contra o Satânico Dr. No/BRA e Agente Secreto/POR) com o personagem James Bond interpretado pelo então semi-desconhecido escocês Sean Connery.

O filme, feito com um orçamento de poucas centenas de milhares de libras, estourou nas bilheterias de todo o mundo, transformou Connery num ícone dos anos 60 e com a sua espetacular popularidade internacional fez surgir uma nova histeria mundial vinda da terra da beatlemania da época: a bondmania.Alguns dos fatores de maior empatia da série com o público, além do carisma e do charme de seu personagem principal, tem sido sem dúvida os mirabolantes vilões , os “gadgets” mortais e de alta tecnologia, suas canções-tema e suas maravilhosas bond-girls. As mais variadas estrelas do cinema internacional já passaram pela pele dos terríveis inimigos de Bond, do pioneiro Dr. No de Joseph Wiseman, passando pelos clássicos Goldfinger (Gert Fröbe), Ernst Blofeld, o líder da organização criminosa SPECTRE ( vivido por Donald Pleasance, Telly Savallas e Charles Gray em filmes diferentes) , Francisco Scaramanga (Christopher Lee) de The Man with the Golden Gun) o capanga Jaws (o gigante Richard Kiel ) de The Spy Who Loved Me e Moonraker) até o Khamal Khan de Louis Jourdan de Octopussy, e o Renard de Robert Carlyle, principal vilão de The World Is Not Enough.

Bond também não seria o espião invencível que é se não fossem os brinquedos tecnológicos que o acompanham desde o início e que por tantas vezes lhe salvaram a vida, todos produzidos no laboratório de pesquisas do MI-6 pelo irascível, mas adorado pelos fãs, “Q”, o gênio inventor da agência de espionagem, vivido por Desmond Llewelyn. Falecido num acidente de automóvel no fim de 1999, Lewellyn foi o ator que mais participou dos filmes de James Bond: esteve em todos, à exceção do pioneiro Dr. No, 007 Contra o Satânico Dr. No/BRA e Agente Secreto/POR e de Live and Let Die, 007 Viva e Deixe Morrer/BRA e 007 Vive e deixa Morrer/POR.Entre esses brinquedinhos tornaram-se famosos a Lotus, o carro esporte-submarino-lançador-de-misséis de The Spy Who Loved Me, 007 O Espião Que Me Amava/BRA e Agente Irresistivel/POR, o Aston Martin com chapa blindada à prova de balas que protegia o vidro traseiro de Goldfinger, Little Nellie, o mini-helicóptero desmontável de You Only Live Twice, Com 007 Só Se Vive Duas Vezes/BRA e 007 Só Se Vive Duas Vezes/por e até mesmo um brinquedinho não criado por “Q”, mas pela NASA, o jipe lunar usado por Sean Connery em uma de suas fugas no filme Diamonds Are Forever, 007 Os Diamantes São Eternos.

As sempre inovadoras vinhetas de apresentação na abertura dos filmes, criadas pelo artista gráfico Maurice Binder, que se tornaram uma atração à parte dentro do próprio filme e revolucionaram o design cinematográfico nos anos 60 e 70 e as famosas canções-título que marcaram época como “Goldfinger” e “Diamonds Are Forever” na voz da cantora negra inglesa Shirley Bassey, “Nobody Does It Better”, tema de O Espião Que Me Amava/ Agente Irresistível cantada por Carly Simon e líder de todas as paradas de FM do fim dos anos 70 ou “Goldeneye” com Tina Turner, do primeiro filme estrelado por Pierce Brosnan, ajudaram os filmes de Bond a se tornarem os mais populares filmes de aventura e espionagem em todo o mundo por décadas, mesmo tendo sido imitados e parodiados dezenas de vezes e jamais igualados.Mas são as famosas “bond-girls”, as namoradas do agente especial, que trouxeram aos filmes de 007 o ar de sofisticação, beleza e sensualidade que são a sua marca registrada. Entre goles de champagne Bollinger e Don Perignon, lençóis de seda inglesa, peles de raposa, tapetes persas, castelos e cenários de sonho em todo o planeta, a série lançou ao mundo a beleza com as atrizes: Ursula Andress, Daniela Bianchi, Honor Blackman, Claudine Auger, Mie Hama, Diana Rigg, Jill St. John, Jane Seymour, Britt Ekland, Barbara Bach, Lois Chiles, Carole Bouquet, Maud Adams, Tanya Roberts, Maryam D'Abo,Carey Lowell, Izabella Scorupco, Michelle Yeoh, Denise Richards, Halle Berry e Eva Green.

Não-Oficiais

Bond estrelou também três filmes "bastardos": em 1953, uma adaptação para a televisão de Casino Royale teve Barry Nelson no papel do espião; a paródia Casino Royale, de 1967, com David Niven; e Never Say Never Again (1983), refilmagem de Thunderball estrelada por Sean Connery.

  • Agora me diga qual a sua lembrança de Bond?

Foto por ::: Michel Bobillier (athos99) / TrekEarth

Nenhum comentário:

Postar um comentário