Contra o Tabagismo - Blogagem Coletiva

O tabaco é nome comum dado às plantas do género Nicotiana (Solanaceae), em particular a N. tabacum, originárias da América do Sul da qual é extraída a substância chamada nicotina. Os povos indígenas da América acreditavam que o tabaco tinha poderes medicinais e usavam-no em cerimónias. Foi trazida para a Europa pelos espanhóis, no início do século XVI. Era mascado ou, então, aspirado sob a forma de rapé (depois de secar as suas folhas). O corsário Sir Francis Drake foi o responsável pela introdução do tabaco em Inglaterra em 1585, mas o uso de cachimbo só se generalizou graças a outro navegador, Sir Walter Raleigh. Um médico francês, de nome Jean Nicot (de onde deriva o nome da nicotina) usava-o como medicamento, para curar as enxaquecas da rainha Catarina de Médicis.

No entanto no século XVII começaram a surgir preocupações por causa dos malefícios provocados à saúde pelo tabaco, que para além disso era viciante. Várias nações colocaram restrições ao seu uso mas, ao mesmo tempo, o tabaco proporcionou muito lucro aos estados que cobravam impostos significativos sobre as suas vendas.

Atitudes.

Juventude Livre do Tabaco. Este é o tema do Dia Mundial sem Tabaco 2008, que será celebrado neste sábado (31) no Brasil e em 191 países Estados-Membros da Organização Mundial da Saúde (OMS). O objetivo é fortalecer a necessidade do controle do tabagismo em todo o mundo.

No Brasil são desenvolvidas várias ações governamentais para diminuir o consumo de tabaco. Uma delas, exemplo para outros países, é o Programa Nacional de Diversificação em Áreas Cultivas com Tabaco. Criado pelos ministérios do Desenvolvimento Agrário (MDA) e Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), em 2006, sob a coordenação da Secretaria de Agricultura Familiar (SAF), o programa estimula geração de renda e qualidade de vida com o apoio a projetos de extensão rural, formação e pesquisa para o desenvolvimento de estratégias de diversificação produtiva e não-agrícolas em propriedades de agricultores familiares fumicultores.

O Programa apóia, no momento, 47 projetos na região Sul desenvolvidos por meio de parcerias com organizações não-governamentais (ONGs), universidades, centros de pesquisa, organizações de assistência técnica e extensão rural. A ação abrange 500 municípios e beneficia 19 mil famílias. Em 2007, o Programa foi ampliado para quatro estados do Nordeste.

O secretário da SAF/MDA, Adoniram Sanches Peraci, afirma que o Programa de Diversificação é referência mundial pela capacidade do governo em criar políticas públicas para enfrentar as ações da indústria do fumo por meio do crédito, assistência técnica e extensão rural (ATER) e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), entre outros. “Já investimos R$ 10 milhões em ações de capacitação, assistência técnica, apoio a organizações governamentais e não-governamentais junto às famílias de agricultores que optaram pela diversificação e reconversão das áreas de produção de fumo”.

Exemplo mundial

De 15 e 19 de junho, o MDA irá representar o Brasil em um evento no México para apresentar os avanços e as políticas do Ministério para a agricultura familiar. Além disso, apresentará uma proposta para os outros países de matriz metodológica para estudos comparativos sobre alternativas a cultura do tabaco. Peraci acredita que a pressão mundial contra o tabagismo contribuiu para reduzir a área plantada de fumo. “Somente na última safra, no Sul do Brasil, a redução na produção de fumo foi de quase 14%”, explica.

Na prática

Guilherme Kuhn, agricultor familiar da localidade de Estrada da Gama, no município de Pelotas (RS), chegou a plantar 80 mil pés de fumo. Hoje, reduziu o cultivo para 20 mil pés. Ele pensa até em, ao terminar o contrato, não plantar mais fumo. Kuhn diversificou a propriedade com o cultivo hortaliças orgânicas. A produção é comercializada via cooperativa para o PAA e o mercado local. Na prática, o resultado foi a garantia de venda e a valorização por meio do preço pago ao agricultor, que trouxe aumento da renda, além da ampliação da produção ecológica.

Kuhn é integrante da Rede de Cooperação e Comercialização Solidária em Contra-posição à Cultura do Tabaco no Território Sul do Rio Grande do Sul, que conta com o apoio do Programa de Diversificação. Por meio da Rede, desenvolve-se a proposta agroecológica, já que alguns agricultores diminuíram a área plantada com o fumo ou deixaram de plantar. Isso possibilitou a ampliação da área de produção agroecológica nas propriedades e o interesse de novas famílias para integrarem os grupos ecológicos

Com 523 associados, a Cooperativa Sul Ecológica de Agricultores Familiares, do município de Pelotas (RS), conta com o apoio do Programa de Diversificação, atuando no fomento à assistência técnica, capacitação e extensão para fortalecimento da produção agroecológica. Além disso, a cooperativa trabalha na consolidação da Rede de Comercialização Solidária, em contraposição à cultura do tabaco no território sul do Rio Grande do Sul.
Em Santa Catarina, estado que mais produz fumo no País, o Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo (Cepagro) desenvolve um trabalho na região do Alto Vale do Itajaí (SC), sobretudo nos municípios de Leoberto Leal, Angelina, Imbuia, Vidal Ramos, Major Gercino, Alfredo Wagner e Nova Trento. A ação, que envolve mais de 1.800 famílias que dependem do plantio de fumo, é direcionado à transição para sistemas agroecológicos, sobretudo no incremento de pastagens. Isso tem permitido o aumento do rebanho e da produção de leite. A garantia de um vencimento quinzenal para os agricultores que optaram pela venda de leite para laticínios da região tornou a atividade atrativa.

Diversificação de culturas

O Brasil ratificou a Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CQCT) em 2005, comprometendo-se a implementar uma série de medidas para o controle do tabaco, inclusive àquelas referentes ao artigo 17 da Convenção que trata das alternativas produtivas economicamente viáveis à cultura do tabaco. Dentro deste contexto que foi criado o Programa Nacional de Diversificação em Áreas Cultivadas com Tabaco.

COMO O CIGARRO PASSOU DE MOCINHO A VILÃO NO BRASIL

Livro com projeto da cardiologista Jaqueline Scholz Issa e reportagem da jornalista Madeleine Lacsko, que será lançado no Dia Mundial de Combate ao Tabaco, 31 de maio, conta os bastidores da saga brasileira no combate ao tabagismo.

Na década de 1980, o Brasil figurava nos cenários da indústria de tabaco como um dos mercados mais promissores do planeta no consumo de cigarros. Com essa perspectiva, a indústria se mobilizou fortemente nos mercados para dar destaque ao país e a seus consumidores. O sonho do Brasil como líder de consumo foi frustrado, porém, na década seguinte, quando forças importantes da sociedade – médicos, pesquisadores, políticos, imprensa, ONGs – se mobilizaram numa frente ampla de resistência.

Os resultados dessa batalha, entre outros, é que a incidência do tabagismo na população brasileira tem caído de forma continuada e consistente há mais de uma década, e que o Brasil mantém um programa de combate ao tabaco considerado modelo pela OMS – Organização Mundial de Saúde.

“Sem Filtro: ascensão e queda do cigarro no Brasil”, que será lançado neste sábado, 31 de maio, às 11h, na Livraria Cultura, em São Paulo, chega ao mercado para mostrar que há muito mais por trás do cigarro do que seu poder de gerar doenças do coração e dos vasos, além de um amplo leque de cânceres.

O livro, publicado pela Editora de Cultura, é resultado de projeto da cardiologista Jaqueline Scholz Issa, do InCor (Instituto do Coração), que trabalha em pesquisas e tratamentos do tabagismo (veja mais em www.deixardefumar.com.br). A médica trouxe para o Brasil, em 1993, a iniciativa do Dia Mundial sem Tabaco, da OMS (Organização Mundial da Saúde), e fundou um dos primeiros programas de tratamento do tabagismo reconhecidos no país, o do InCor. A reportagem ficou a cargo da jornalista Madeleine Lacsko, que perte nceu aos quadros da Rádio Jovem Pan, de São Paulo, e hoje atua em Brasília, como coordenadora geral da Rádio Justiça.

Depois de mais de uma década de campanhas e de divulgação intensa de informações de pesquisas pela imprensa, diz Jaqueline, a população brasileira está cada vez mais atenta aos malefícios do cigarro. “Faltavam-nos, contudo, informações organizadas, que dessem uma perspectiva histórica desse período e dos interesses e forças que estiveram e ainda estão atuando no cenário. ‘Sem filtro’ vem cobrir justamente essa lacuna. É uma obra que eu, como médica, acho fundamental para que a sociedade brasileira mantenha sua consciência de luta contra o tabagismo”.

Para montar essa história, foram pesquisados documentos oficiais de diversas procedências, inclusive os da Justiça norte-americana, mostrando o envolvimento da indústria do tabaco do Brasil com o contrabando de cigarros como estratégia de mercado. Figuras históricas do Brasil e do exterior deram depoimentos marcantes sobre os principais momentos da luta contra o tabaco, a começar pela mentora e ex-coordenadora do programa mundial da OMS de combate ao tabagismo, a médic a suíça Claire Chollat-Traquet.

Dois antitabagistas históricos – o governador José Serra e o ex-ministro da Saúde Adib Jatene –, além do deputado Elias Murad, falaram sobre os principais lances do processo que levou o Brasil a ser pioneiro na instituição de leis restritivas ao cigarro.

Políticos, militantes de ONGs, médicos e pesquisadores de expressão – como os médicos Vera Luiza Costa e Silva, Marco de Moraes e Antônio Pedro Mirra – também figuram na galeria de depoimentos que fazem deste livro uma obra reveladora e uma publicação original em termos mundiais.

As autoras
Madeleine Lacsko é jornalista, com passagem pela Rádio Trianon e dez anos na Rádio Jovem Pan. Teve por quatro anos uma coluna diária, crítica e bem-humorada, sobre as atividades do Congresso Nacional. É coordenadora geral da Rádio Justiça, emissora pública do Poder Judiciário brasileiro administrada pelo Supremo Tribunal Federal.

Jaqueline Scholz Issa é doutora em Cardiologia pela Faculdade de Medicina da USP, ocupa atualmente o cargo de diretora da Unidade de Atendimento ao Cliente dos Consultórios do InCor, onde coordena o ambulatório de tratamento do tabagismo e a pesquisa com novos medicamentos para tratamento do tabagismo. Foi médica colaboradora da Organização Mundial da Saúde no programa “Tabaco or Health” entre

1993 e 1996. Tem vários artigos e trabalhos publicados no Brasil e no exterior.

Leia agora outros blogs que também participam da blogagem coletiva.


1- Polecos 2- Re-Novidade 3- Chronicles & Tales Unlimited - Cidão 4- Leio o Mundo Assim 5- Katia Gomes 6- Sonhos de Cetim 7- Mágica Mistura 8- Palavras Intimistas 9- Strange Little Girl 10- Turma do Amigão 11- NORTE 12- Art Mista 13- Conquistadores 14- Ué!? Rick 15- Na casa da Vovó 16- N' Roses 17- Olhos Pretos 18- Les Rêveurs 19- Felizes para Sempre 20- Ai meus Sais 21- Luz de Luma, yes party! 22- Palavras ao Vento 23- Blitz krieg 24- Pesquisas de Química 25- Meio Ambiente e Derivados 26- Sanidade Insana 27- My Blog Healt 28- Super Dica$$$ 29- Blog do Wallacy 30- Caneta Vazia 31. Devaneios, Sonhos e Loucuras... 32. Loba 33. Gente Sem Saúde 34. Lavanderia Virtual 35. Neusinha Blog 36. Desabafo 37. Tudo para Todos sobre Nada 38. Patchwork 39. Anis com Canela 40. Hippos 41. Meu Blog 42. Quem não se arrisca não petisca! 43. Meu Jardim 44. Saia Justa 45. Juliu's Pub 46. O Cantinho da Borboleta Azul 47. Blogosfera Solidária 48. Mundo A Fora 49. O Conde, de Ivan Grycuk 50. Pensamentos Loucos de uma teoria Retorcida 51. Chega Mais 52. Pintura Íntima 53. Azideias 54. Bairro do Coque 55. Leitora de Blogs 56. Borboletando 57. BHY 58. Blog Linha 59.Diário da Fafi 60. Blog do Ronald 61. Verde que te quero verde 62. Neurótika 63. Casa da Tetê 64.O Milésimo Blog 65. A Lua e Eu 66. Todo Seu: História & Cotidiano 67. Blog do Beagle 68. Energia Eficiente 69. Tânia Defensora 70. Lulu on the Sky 71. Jus Indignatus 72. CronicaNet 73. Rosa 147 74. A Abiose Maringaense 75. Mãe e Muito Mais 76. P@l@vre@do! 77. Viva Sua Vida Como se Cada Dia Fosse o Último 78. Vertentes Sonoras 79. Letícia Coelho 80. O Pitoresco 81. Eternessências 82. Espaço Mensaleiro 83. Eu... Por Mim Mesma 84. Caminho Suave 85. Blog do Cejunior 86. Ambiente e etc. 87. Pequenos Nadas 88. Luxuriante 89. Ótica de um Míope 90. Alecrim Dourado 91. O Fantástico Mundo de Anne Baylor 92.Ciência Brasil 93. Lomyne's in tha house 94. Ideais & Idéias 95. es.histórias 96. Blog do Gato-do-Mato 97. Ambiente Ecológico 98. In pressões 99. Manancial de Luz 100. Espírita na Net 101. My Life
Blogagem Colétiva por:
A Melhor Novela de Todos os Tempos
Apenas Nana

9 comentários:

  1. Excelente artigo! Todos na luta contra o tabaco! :D

    ResponderExcluir
  2. Excelente postagem, dessa vez me desliguei e não entrei, passou despercebido. Tenho uma colega que está com efizema pulmonar por causa do cigarro. Parabéns

    pelo Post!!! Coloquei uma interessante postagem sobre Hipertensão arterial, gostaria que vc passasse por lá e deixasse seu parecer, ele é muito importante

    para mim.

    ResponderExcluir
  3. Coisa boa ver tanta gente participando!
    Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  4. Com a desculpa do vício, muita gente mesmo sabendo dos riscos de abreviar o tempo de vida, continuam fumando. E o pior deles são os profisssionais da saúde. Beijus

    ResponderExcluir
  5. Querido, confesso que não sabia
    do histórico.

    Muito obrigada!
    Tenha um ótimo domingo.

    Eliana Alves

    ResponderExcluir
  6. Ótimo post, Julio, quanto mais informação melhor e seu artigo ficou completo, bastante informativo !!
    Muito obrigado pela sua valiosa contribuição na Campanha, cumprimos a missão !!
    Abração, até logo !!

    ResponderExcluir
  7. oi querido...parabéns por tbm participar na blogagem coletiva...e por me linkar...a propósito to te levando pro mágica...valeu?

    beijo luminoso

    ResponderExcluir
  8. Olá Julio!
    Ainda não li todos os post da Blogagem, mas até aqui este é um dos melhores que li.
    Muitas informações que ainda não tinha lido.
    Muito bom mesmo.
    Obrigado pela sua participação.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Eu estou tentado para de fumar e muito dificio porem o meu desejo é maior com tantos artigos que estou lendo nestes ultimos dia este foi o mas completo e não tenha duvida você já tem sua parcela garantida por esta fase que estou passado e com fé em Deus serei uma ex- fumante.
    obrigada e até +
    bjus
    Livia

    ResponderExcluir