Political Open Season

Hoje o mundo vê mais uma vez com toda a atenção as novas visões e o futuro de todos. Ligados nas eleições americanas 2008, democratas e pacifistas começam a tomar fôlego para a corrida final até a casa branca.

De acordo com projeção da rede de TV CNN, Obama ultrapassou a marca mínima necessária de 2.118 delegados que precisava para garantir a nomeação do Partido Democrata na convenção que será realizada em agosto.

"Nesta noite, nós marcamos o fim de uma jornada histórica com o começo de outra", disse Obama na celebração da vitória em St. Paul, em Minnesota. "Nesta noite, eu posso ficar diante de vocês e dizer que serei o candidato democrata para presidente dos Estados Unidos", disse ele a cerca de 17 mil partidários.

Os cinco meses de prévias democratas terminaram ontem com votações nos Estados de Montana e Dakota do Sul, os últimos a realizarem as primárias e que colocavam em jogo 31 delegados. Obama venceu em Montana, e Hillary ganhou em Dakota do Sul.

Apesar de Obama se declarar o candidato democrata, a rival Hillary Clinton, ex-primeira-dama dos EUA que entrou na disputa democrata há 17 meses como forte favorita, não concedeu a derrota e disse que consultaria os líderes do partido e apoiadores para determinar qual seria seu próximo passo.

Agora, as projeções futuras volta-se a ficarem um pouco mais realistas, o que poderemos esperar de Obama caso eleito? Internacionalmente falando.

Não o conhecemos mas pelo partido já temos algumas previsões, claro que como todo bom democrata ele ficará com uma bela bagunça interna para limpar em seu pais, após éra Bush que deixou sua marca na historia como um republicano bem sucedido ( Gastou bilhões em guerra, aprova uso de força desnecessária, não mexeu no sistema de saúde interno, dificultou a passagem de estrangeiros ao pais, etc...) , Obama terá que começar a trabalhar como Lula, do primeiro mandato. "Melhorar a imagem do país lá fora", ou seja, projetar investimentos para salvar suas casas que hoje não valem muito.

Esperamos para ver o que acontece, e parece que os republicanos já começam a opinar sobre o assunto, acredito que não será algo fácil para os democratas. A partir de hoje iremos ver o quanto a política americana evoluiu. Durante anos lemos e assistimos o que aconteceria caso algum afro descendente ou uma mulher tomasse o poder.

Como será a batalha até casa branca? Já temos um preview sobre como acontecerá. Veja, os ataques de McCain [a Obama] foram feitos em discurso em Nova Orleans (Louisiana) ontem à noite, pouco antes de o senador por Illinois alcançar os 2.118 delegados. "Ele é um homem impressionante, que dá uma ótima impressão à primeira vista", disse McCain no discurso.

"Mas ele não quer desafiar seu partido e correr o risco de ser alvo de críticas de seus apoiadores para trazer mudanças reais a Washington. Eu quero", acrescentou.

Já Obama, promete não fica quieto como minoria popular e também utiliza de todas as informações que tiver em mãos para chegar ao grande poder. Durante seu discurso, Obama aproveitou para desferir diversos ataques contra McCain, que deve ser seu rival nas eleições gerais de novembro. McCain é "um homem que serviu a esse país. Honramos e respeitamos tudo o que ele alcançou apesar de ele se recusar a respeitar as minhas conquistas", afirmou Obama.

Agora vamos ver se a capital do entretenimento mundial deixará a realidade fluir e nos surpreender mostrando ao menos, que uma parte dos americanos ainda acredita em um mundo um pouco mais justo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário