Todo dia do dia.

Nesta semana comemora-se uma data que todos dizem ter de ser lembrada todos os dias. Então pergunto, como se lembrar de algo que poucos têm? Ou que muitos acharam já possuir e perder? Neste próximo dia 12 é dia dos namorados em sua versão comercial, acredito que é um dia que se celebra algo que fica esquecido durante muitos meses as vezes quase o ano todo, muitos se incomodam de existir uma data para isto, mas convenhamos, quantos namoros e quantos términos de namoros acontecem neste dia? Acredite são muitos.

Este dia representa a hora de pensar em tudo que acontece entre você e a pessoa que esta sempre ao seu lado, o quanto vocês se gostam, pensam em dividir a vida ou até mesmo criar um futuro para vocês dois, juntos? Muitos relacionamentos começam em lugares diferentes e terminam quando se tornam tradicionais, outros começam tradicionais e terminam quando fica uma coisa bem diferente.

Onde, como, quando, por que, de que maneira, estilo, momento, desejo, paixão, vontade, insegurança, destino, futuro, casal e vida são palavras que não conhecem data ou momento próprio a acontecer. O amor não tem cartilha ou manual, não é descritivo e muito menos fotografado, você simplesmente sente e reparte com aquela pessoa que tanto gosta.

Vontade de ficar perto da outra pessoa não é algo planejado ou que vem com o tempo, vontade de dizer e fazer coisas vem da real necessidade humana assim como respirar o ar. Hoje muitos tentam equilibrar o sonho a vida real e quando falham acha que ficou muito real ou muito fantasioso. Pessoas, entendam, é tudo muito mais simples. Você não tem que fazer tudo que lhe dizem ou leu, assim como nascemos aprendendo a respirar nascemos também aprendendo a amar. Não acredita? É porque ainda não identificou seu amor, ou então achou que o controlava em outro momento e acredito que se aquilo era amor, então você prefere nunca mais senti-lo.

Parece assustador, mas amor é algo único, diferente. Pense comigo, se entendemos tanto do assunto quanto imaginamos porque a cada ano tem cinco livros explicando como é o amor, e todo ano as opiniões mudam? Ou então porque os cientistas relacionam a fluxos e reações de nossa mente a paixão e ao amor? Pelo simples fato de acharem que é algo tão simples que deveria ser generalizado. Acredite não é.

O mesmo amor que sente pela sua mãe é diferente da que sente pelo seu pai, e diferente do que sente pela sua avó, e será diferente com a pessoa que quer passar o resto da vida. Existe nessas quatro pessoas algo de muito igual para generalizar o que sente? Ao menos a mim não.

Não posso explicar como será o seu, mas sei como funciona comigo e como disse é algo indescritível mas sinto as seguintes sensações. Necessidade, como o ar, de seus beijos e saber como está passando o dia, enviar um e-mail quando a saudade aperta. Senti-la sempre por perto sempre. Todo minuto estar com os pensamentos nesta pessoa mas de uma maneira tranqüila sem preocupações, outras utilizo esses mesmos pensamentos a continuar bem o dia, não me deixo levar por nada além dos pensamentos que tenho por ela.

Me trás vontades de faltar bem alto o nome dela junto com as juras de amor que fazemos todos os dias, simples assim. Dentre outras necessidades e vontades, dias noites e tardes, quero sempre mais estar ao lado dela, ajudando ou ter seu auxilio, aprender e ensinar, tudo isto e mais usando as palavras que naturalmente vem: Nós e Juntos. Duas vidas que nasceram cresceram passaram toda a experiência que deveriam, aprenderam e se preparam para se reencontrar e finalmente dividirem sua vida e transformá-la apenas em uma como já estava escrito, predestinado. São as poucas coisas que consigo descrever do que sinto, todo dia esta lista cresce e todo dia amo mais, quero mais e desejo mais este amor.

Tudo o que sinto não aprendi em livros e não aprendi em experiências anteriores, é algo novo e que identifiquei a partir do primeiro momento. Será assim com você também, tranqüilize, seja sincero e transparente, sensível, resumindo: Viva. De importância ao que realmente importar, não tenha o “Filtro Solar” como leitura diária se acaso não aprender nada com o texto, não leia cartas de amor achando que nunca acontecerá com você, desencane de sofrer por coisas que não merecem seus pensamentos ou suas lagrimas, seja sincero contigo e logo descobrirá que tem algum no mundo que entende exatamente o que pensa e o que passa. Que sabe lhe dar carinho e abrigo, a pessoa que fala sempre às palavras certas nos momentos que mais precisa que também lê seus pensamentos e sem falar uma palavra consegue acalmá-lo.

Pergunta-me se a vida pode passar sem reconhecer este amor? Respondo rapidamente que não, você poderá não identificá-lo ou até saberá, mas poderá não aceitar de inicio, seja por outras experiências e por estar machucado pela própria vida. Seja mais simples em tudo que fizer. O mundo não é tão complexo quanto pensa.

E todo dia é dia sim, de viver.

P.S: Lu, Te amo. <3

11 comentários:

  1. Olá! obrigada pela sua visita. Nossa!!!amei seu texto. muito lindo mesmo. Abraços

    ResponderExcluir
  2. Julio gostei da forma que descreveu deste sentimento tão nobre. Estou retribuindo sua visita e quero destacar o excelente contreúdo e a qualidade do seu blog. Te ofereço minha amizade. Abraço e ótima semana

    ResponderExcluir
  3. Amei sua doce e amável visita.Gostei do seu texto, vc escreve maravilhosamente bem, continue a nos blindar com coisas boas. Volte sempre lá no meu Espaço,me senti honrada.Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Apenas algo incompreensível para mim: se o amor é algo essencial à vida, por que ele não acontece naturalmente? Por que temos de procurá-lo e , quando julgamos tê-lo achado, ele se esvai de nossas vidas?
    abraço, garoto

    ResponderExcluir
  5. Lindo texto Julio, parabéns!

    Obrigada pela visita, seja sempre bem-vindo!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Olá

    Julio,aquela estória de Roraimâ e mesmo meio suspeita mas a sua cronica e bem real e praguimatica,agradecendo a visita e retribuindo link.

    Abç

    ResponderExcluir
  7. Ótimo texto. Exprimir o amor sempre trás boas energias, mesmo que não seja do objeto desejado. Mas quando se tem sorte e o amado retribui, então o movimento gerado é poderoso.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Júlio,
    Parabéns pelo blog e sobretudo pela sua maneira de expressar o seu sentimento nesse texto, é isso aí!
    Grato pela visita ao Manancial, estamos ao seu dispor, e com certeza estarei tb por aqui.

    Saudações fraternas,

    ResponderExcluir
  9. Julio, concordo com vc quando diz que o mundo não é tão complexo quanto se pensa; a tal da humanidade, sim, que não sendo una do ponto de vista do comportamento social, econômico e religioso, apresenta muitas e boas discrepâncias de relacionamento. No tocante ao amor, como ele é fundamentalmente psico-biológico, parece ocorrer quase como uma escola em escala mundial. Uma análise excelente, digna para muita reflexão por parte de quem queira se aprimorar neste conteúdo altamente filosófico. Abraços

    ResponderExcluir
  10. Júlio...
    A gente ama, quebra a cara, ama de novo, quebra a cara, ama de novo...
    Não dá para viver sem amor. Não dá mesmo!

    Bjo

    ResponderExcluir