Blogday 2008

Um pouco atrasado venho aqui a divulgar melhor meus indicados ao blogday, de uma maneira diferente, todos indicados me chamam atenções por suas personalidades únicas e opini seria e fortes sobre os assuntos que abordam, sejam pessoal ou para conhecimento nacional, os blogs são leituras obrigatórias para todos os amigos blogueiros visitarem, resolvi fazer um clipped de cada blog só para mostrar um pouco a vocês como é cada blogueiro:

Luz de Luma - clipped

Todos nós possuímos as mesmas características em menor ou maior proporção, que ao final é o que nos diferencia; a vaidade, o gosto pelo belo, o consumismo, superficialidades que tentam suprir nossas carências. Alguns dizem não ter - tem sim, só que em menor quantidade.

Afora isso, os nossos sentimentos, a maneira como são demonstrados é também o que nos diferencia um dos outros. O lado A é esse que fica estampado na nossa cara e o lado B? Deve ser aquele que ninguém vê. É isso, o lado B é o lado que ninguém vê. Então, não tenho esse lado. Brincadeira!! Todos nós temos momentos de recolhimento também, isto não quer dizer procurar pela tristeza, pode ser o contrário, não pode? E o meu lado B é um saudosista alegre.

Saudade, a vontade de voltar naquele momento em que fomos mais felizes. Re-viver!

by Osc@r Luiz - clipped

Lembra que ontem eu disse que "A Vida Ao Vivo Show" foi derivado de um quadro chamado "A Vida Ao Vivo", que ia ao ar no Fantástico?

Pois é, no ano de 1997 ele ia ao ar, com duração de aproximadamente 8 minutos no meio do programa dominical global. Só em julho de 1998 virou um programa independente. Pois eu consegui um dos esquetes desse tempo. Veja só... O tema dessa vez foi o "Ibope":

BlogGente - Clipped

Amigos, parte desse texto já foi postado. Não me recordo se foi no Nós por Nós ou no aqui. Procurei no Google e nada encontrei, então, caso esteja delirando, vou publicar novamente com alguns acréscimos. O motivo da republicação é que ando sem idéias. Vamos lá:

Devo reconhecer que ninguém faz filme como os americanos. Sei de todos os defeitos que eles têm, das mentiras que contam e tudo mais. Sei também que o cinema europeu é para lá de sério e que os brasileiros não estão devendo nada a ninguém, mas se eu conseguir fazer uma lista dos dez filmes que mais marcaram a minha vida, com certeza os dez serão americanos. No entanto, é impossível não deixar de falar mais algumas coisas sobre o assunto. Vejamos:

WilMarx - Clipped
















BHY - Clipped

A verdade é tudo aquilo que o homem precisa para viver, não pode ganhar nem comprar dos outros. Todo homem deve produzi-la sempre no seu íntimo, se não ele se arruína. Viver sem a verdade é impossível, mas não exagere no culto da verdade. Não há um único homem no mundo que não tenha mentido muitas vezes e com razão.

Mas afinal o blog nasceu de onde? Posso dizer, em tom de humor, que não veio de nosso amigo Interney. Jorn Barger, autor de um dos primeiros FAQ's , foi o editor do blog original "Robot Wisdom"e concebeu o termo - "weblog" - em 1997, definindo-o como uma página da Web onde um diarista (da Web) relata todas as outras páginas interessantes que encontra.

O blog de Barger tem uma aparência diferente dos atuais e ainda hoje mantém a mesma interface de quando foi criado. O termo foi alterado por Peter Merholz, que decidiu pronunciar "wee-blog", que tornou inevitável o encurtamento para o termo definitivo "blog". Rebecca Blood, pioneira no uso de blogs, relatou suas experiências, explicando que em 1999, os blogs eram distintos tanto em forma como conteúdo das publicações periódicas que os precederam (ezines e journals). Eles eram rudimentares em design e conteúdo, mas aqueles que os produziam achavam que estavam realizando algo interessante e decidiram ir adiante. Os blogueiros referenciavam entradas interessantes em outros blogs,normalmente adicionando suas opiniões. Créditos eram concedidos a um blogueiro individual quando outros reproduziam os links que este havia encontrado. Devido à freqüente interligação entre os blogs existentes na época, os críticos chamaram os blogueiros de incestuosos, que por sua vez sabiam que amplificavam as vozes uns dos outros quando criavam links entre si. E assim a comunidade cresceu. Os blogueiros pioneiros trabalharam para se tornar fontes de links para material de qualidade, aprendendo a escrever concisamente, utilizando os elementos que induziam os leitores a visitar outros sites.

O panorama mudou quando, naquele mesmo ano de 1999, diversas empresas lançaram softwares desenvolvidos para automatizar a publicação em blogs. Um destes softwares, chamado Blogger, apresentava enorme facilidade para publicação de conteúdo, e com a sua interface privilegiando a escrita espontânea, foi adotado por centenas de pessoas. O conhecimento tecnológico para manutenção de uma ferramenta para publicação na Web passou a não ser mais um requisito. A estrutura técnica era gerenciada pela empresa, que também oferecia a criação de blogs a custo zero, assim como os valores agregados: um item em um blog possui valor de produção irrisório comparado com o de um artigo veiculado na grande mídia. Essa adoção em massa, e a não utilização dos links como o elemento central da forma, causou controvérsia na comunidade original blogueira. Eles acusavam os blogs gerados pelos novos softwares de serem simplesmente diários, e não blogs – e o que representava os blogs “de verdade” eram os links. Alguns achavam que com a seleção criteriosa e justaposição de links, os blogs poderiam se tornar uma importante nova forma de mídia alternativa, agregando informações oriundas de diversas fontes, revelando diferentes pontos de vista e talvez, influenciar a opinião em larga escala – uma visão chamada “mídia participativa”.

abs, e um feliz BlogDay a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário