Cotidiano gay em exposição.

Pelo e-mail conseguimos falar com algumas pessoas, sobre esta exposição que chama atenção dos cariocas e desembarca na terra da garoa pronto para criticas e elogios.

Após participar dos mais importantes festivais de foto do Brasil, a exposição multimídia “Entre Amigos & Amores - os espaços de socialização GLS do Rio”, de Pedro Stephan estréia no MAC-USP-IBIRAPUERA – um dos mais importantes salões dedicados ás artes visuais no Brasil – no dia 9 de setembro.

A exposição que irá até o dia 19 de outubro, fará parte de um grande salão com três exposições dedicadas á temática GLBT, uma delas da Espanha, a “Colección Visible” traz obras de artistas internacionais consagrados, com trabalhos que se remetem ao relacionamento afetivo entre casais glbt. A outra é do inglês Barry Wolf sobre os transgêneros de São Paulo. Stephan será o único artista brasileiro a participar desse grande evento, promovido pela ABEH (Associação Brasileira de Estudos da Homocultura), que realizará seu quarto congresso nacional na USP em setembro.

A Exposição

Com entre “Amigos & Amores” Pedro Stephan, fotógrafo especializado na temática homossexual, compõe um painel realístico e atual do cenário GLBTT do Rio de Janeiro, fotografando a pluralidade dentro de um segmento social estigmatizado. A exposição fotográfica multimídia se originou de mais de 100 fotos, de ensaios realizados em diferentes espaços de socialização GLS no Rio.

As imagens percorrem a ampla gama de estilos de vida e comportamento, que algumas vezes passam desapercebidos aos olhos da sociedade. Indo da zona norte à zona sul, dos lugares elitizados aos mais populares e com público de todas as idades, “Entre amigos & Amores” é um convite à reflexão sobre a temática homossexual cada dia mais presente no cotidiano brasileiro.

Para a acadêmica e produtora cultural Heloísa Buarque de Hollanda, que assina um dos textos da exposição, Stephan é pioneiro na fotografia etnográfico-poética urbana brasileira de acento ativista. "Nessa exposição, seu mais recente trabalho, ele faz o mapeamento geopolítico dos espaços de socialização da comunidade homossexual carioca", analisa.

"Esse trabalho pioneiro é o resultado de uma pesquisa realizada ao longo de vários meses, tornando-se de grande importância como estudo antropológico de uma minoria estigmatizada e alvo de preconceitos e deboches", comenta o fotógrafo e curador da exposição Andreas Valentim.

“É uma conquista GLBTT ter uma exposição que mostra de maneira simpática e realista seus locais de convívio e diversão, além de contribuir para desmistificar o estigma que paira sobre a comunidade homossexual”, constata Pedro Stephan, revelando que pretende levar a exposição para outras cidades do Brasil.

Pelo fato ser uma “obra em progresso” Stephan continua fotografando os espaços gays do Rio e na edição paulista do “Entre Amigos & Amores” vai incluir ensaios inéditos recentemente realizados sobre o subúrbio e a baixada fluminense. O fotógrafo mostrará imagens desconhecidas do grande publico e mesmo do publico gay, acostumado a ver na mídia apenas o que acontece na badalada zona sul carioca.

Histórico

A exposição foi lançada em junho no FotoRio 2007 – um dos seis mais importantes festivais de foto do mundo. Causou polêmica ao ser censurada uma semana antes da inauguração. Depois de mobilização da mídia, ONGs gays e de Direitos Humanos e parlamentares pró-cidadania homossexual, reverteu-se a situação e a exposição foi inaugurada, tornando-se o grande frissom do festival. Em seguida, “Entre Amigos & Amores” ocupou a sala Renato Russo, durante o FotoArte Brasília 2007, considerado o maior festival da América Latina, onde teve uma expressiva visitação.

A exposição voltou ao Rio em abril de 2008 e ficou quase três meses no Centro Cultural da Justiça Federal. Ali teve sucesso de crítica e uma imensa visitação de público ao ponto de ter que ser prorrogada para atender a demanda dos visitantes.

Biografia

Pedro Stephan, além de fotógrafo, é jornalista com atuação intensa na imprensa especializada gay do Brasil e do exterior. Seus ensaios foram publicados nas mais importantes revistas internacionais como a francesa “Tetu Magazine”, editada pelo estilista Yves Saint Laurent; nas alemãs “AK Magazine”, “Siegessaeule” e “Du und Ich”; e nas norte-americanas “Circuit Noize” e “La Vida”, entre outras. Tem mestrado em Comunicação e Cultura na ECO da UFRJ e atualmente faz doutorado em Literatura Comparada Industria Cultural e Outras Artes na Universidade Federal Fluminense.

Contribuiu para importantes trabalhos institucionais, como os cartazes da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo de 2004 e a Campanha de Prevenção à AIDS organizada pelo Grupo militante Arco-Íris, patrocinada pelo Ministério da Saúde e pela UNESCO. Atualmente vem se dedicando a um trabalho de documentarismo antropológico, fotografando os diversos aspectos da cultura homossexual brasileira, além do processo de emancipação homossexual, que talvez seja a grande conquista civil e democrática desta década.

Abs

Um comentário:

  1. Não vejo problema algum. Obviamente, imagino que a exposição seja para maiores de 18 anos. Seja lá como for, estão mostrando uma realidade que existe mesmo. É arte? Não sei. No mínimo, documentam fatos extraídos da vida real. Bom fim de semana, Júlio.

    ResponderExcluir