Mãos para o bem estudantil

No dia 06 de setembro, que antecede o dia da pátria, cerca de 10 mil voluntários prometem protagonizar uma cena inusitada na grande São Paulo: irão reformar, pintar e limpar cerca de 40 escolas públicas, simultaneamente. No Brasil serão 90 mil voluntários trabalhando em mais de 360 escolas. Eles são participantes do projeto Mãos que Ajudam a Reformar Escolas Públicas, mantido por A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, que tem como objetivo oferecer à comunidade apoio para enfrentar os desafios sociais encontrados em diversas áreas, entre elas, a educação.

O trabalho que será realizado das 8 às 17 horas em parceria com a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo e com algumas prefeituras, está em sua 7ª edição e já beneficiou perto de 1.000 escolas. Entre as atividades desenvolvidas estão a pintura de paredes e fachadas, a limpeza das salas de aula e pequenas reformas, como conserto de portas e janelas. Ao todo, só em São Paulo serão utilizados aproximadamente 7 mil litros de tintas, 10 mil pincéis e centenas de sacos de cimento e gesso. Além disso, o projeto deste ano apresenta duas grandes novidades: a implementação de um sistema de reuso de água da chuva para garantir economia às instituições e a realização de palestras para pais, alunos e professores abordando temas como a preparação para conseguir um estágio, administração financeira do lar e o desenvolvimento de hábitos para tornar o aprendizado mais eficaz.

“Este ano, evoluímos o projeto e buscamos soluções para uma grande preocupação ambiental, o uso da água. Inicialmente, iremos implantar, em três escolas de São Paulo, um sistema de reuso de água, o que irá permitir a essas instituições uma economia de até 50% no gasto mensal”, comenta Jô Ribes, diretora do projeto em São Paulo. ”Nossa preocupação também se estende à relação entre os pais, alunos e professores. Pensando nisso, teremos uma programação de palestras cedidas pela FranklinCovey, a mais reconhecida empresa especializada em lideranças e habilidades de Management do Mundo, pelo NUBE (Núcleo Brasileiro de Estágio) e outras empresas e profissionais que doarão sua experiência, tempo e conteúdo com o objetivo de trazer esperança de um futuro melhor para professores, pais e alunos”, explica.

Antes de iniciar o trabalho, os voluntários visitam as instituições e identificam as necessidades de cada uma. A partir daí, é desenvolvido um planejamento para sanar as principais dificuldades encontradas nestes estabelecimentos. Na Penha, por exemplo, o projeto será realizado na Escola Estadual Anita Guasiné Eiras, que, além de receber o projeto de reuso de água, ganhará nova pintura para 16 salas de aula, quadra de esportes, arquibancada e muros internos e externos. Já em Carapicuíba, a Escola Estadual Doutor Benedito de Lima Tucunduva receberá pintura nova nas salas de aula, corredores, quadra esportiva, além de pequenas reformas. A Escola Estadual Prof Dr. Clóvis de Oliveira, em Campo Limpo, receberá o projeto de reuso da água, assim como a Escola Estadual Dr. Secundino Dominguez Filho, no Ipiranga. “Procuramos oferecer às escolas um tratamento personalizado, com serviços focados em suas reais necessidades”, complementa Flávio Cooper, encarregado pelo projeto no Estado de São Paulo.

O Mãos que Ajudam a Reformar Escolas Públicas acontece, simultaneamente, em 150 cidades brasileiras, somando 90 mil voluntários, mais de 360 escolas públicas serão pintadas e 220 mil estudantes beneficiados. Pelo segundo ano, o projeto conta com a parceria do Compromisso Nacional “Todos pela Educação” e, pela primeira vez, com o apoio do ‘CONSED – Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Educação’ – que articulou o apoio das secretarias estaduais de educação ao projeto. Além desse recurso, a ação terá a parceria das diretorias de escolas, associações de pais e mestres, alunos, veículos de comunicação e o apoio da iniciativa privada. Todas as escolas participantes da ação terão como meta principal melhorar seu Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Um comentário:

  1. Júlio, São Paulo deu um belo exemplo de cidadania. Parabéns por tudo. Beijocas lindão

    ResponderExcluir