Post Mortem

Novamente sou levado a inspiração pela blogsfera e as leituras que por lá, estão. Eis me em deparo com um post de minha eterna Luz, Luma. Com uma crônica perfeita sobre nossa condição em vida e mostra uma ambiguação do que poderá ser sobre o pós vida. Prometo tentar não filosofar tanto quanto a isto. Mas porque não conversarmos sobre algo que indiscriminadamente iremos todos passar.

Durante anos muitos tentaram entender de onde viemos para onde vamos, e o porque estamos aqui, mas o interessante é que logo esta pergunta some, quando posto em cheque outra maior. Por que morremos?

David Copperfied, sim o ilusionista (para mim ainda é magico) gastou 20 milhões de dólares Por ter supostamente achado a fonte da juventude em uma ilha do Caribe ( surpresa minha se ele compra-se algo perto do Alasca ). Esta compra foi devido a necessidade do mesmo encontrar-se com 400 anos aparentando 30.

Aceitar ou não? depende de ti na verdade. Acontecer vai, não se preocupe quanto a isto, o horário não escolhemos, mesmo os suicidas podem ser corrompidos na hora de fazer o ato, neste caso tomar algo com dosagem errada pode causar mais dores que o próprio óbito.

Sinceramente não leia se achar que encontrará a resposta a pergunta aqui, mas como citou Luma em seu post, o que fazemos durante a vida pode pesar no depois. Isto é algo mais que confirmado alias, estou dizendo isto à parte de qualquer misticismo ou fatos religiosos.

Algo que é mais que cientificamente comprovado é que somos pura energia linear, quando a mesma se desalinha esta parte que teve o colapso terá que alinhar-se novamente, em modo obrigatório para a sobrevivência do universo, pode ser fácil ou difícil mas terá que voltar a sua "formação linear".

Em outra palavras, um ditado de três mil anos já dizia "Aqui se faz, aqui se paga" e uma que talvez ajude melhor, já um pouco mais à frente é a famosa "Cada ação tem sua reação". Ou seja, a reação seria para ação ser anulada ou resolvida e voltar a sua normalidade. ( ahá, esta vendo, disse que não iria filosofar muito, mas compliquei, não é? )

Algo que sempre quis relacionar a isto.

Não quero fazer exercícios físicos
Não quero comer saudável
Não estou afim de aprender
Nem penso em relaxar
Não posso deixar o emprego que me stressa
Não posso VIVER, ponto.

Itens clássicos a mais 500 mil óbitos anuais. Somente no estado de São Paulo.


Onde complicamos tanto a nossa simples existência neste planeta? A ponto de corrermos atras basicamente do antídoto anti-morte, ao invés de procurar o antídoto da felicidade ou apenas da propria vida, que pode trazer ótimas surpresas.

Todos nós, individualmente temos pensamentos sobre a morte de acordo com nossa cultura ou criação, temos Deus, Jah, Buda, Allah, Shiva, Eru Ilúvatar, Oxalá... dentro outras, leva-nos sempre a pensar em apenas um divino. Pensando bem, então, nascemos com este sentimento de ter uma força maior que nós, concorda?

O problema é a falta de nossa percepção e nossa necessidade da matéria que não nos permite utilizar meios de nos sentirmos melhores, procurar este antídoto dentro de nós mesmos. Como o palpável pode ser tão crédulo? Tem um vídeo interessante de meu amigo Emil, na qual diz:

"Como pode ter tanta certeza que o aquém a sua imaginação é exitenciario? Segundo a lei da atração atraiamos aquilo que queremos, sendo assim quando pensamos e queremos muito, nossa mente acaba trazendo isto a nós. Ou seja, não seriamos nós criando a nossa realidade?"

O mesmo acontece quando acreditamos muito no "invisível", acredita em fantasmas? Seres de outros planetas? Que existe muito além de nossos 10% de conhecimento(ignorancius) nosso? Se acreditamos existe ou não?

Veja o vídeo:



Já voltando a idéia sobre morte, talvez devemos considerar como o próximo estagio, para onde, por onde, como ou porque, não tenho a mínima idéia, mas posso dizer que a energia não deixa de existir apenas se transforma em outra forma para manifestar-se.

Se somos julgados ou não acredite saberemos na hora, mas nunca esqueça que o julgamento que fará a diferença sobre sua eternidade e seu nome aqui segue contigo por toda a vida. Cada sim, cada não terá uma reação e será julgado bom ou ruim pelo tempo. Ou seja, nós somos nossos juizes durante a vida, e iremos dar satisfações para uma “energia maior”, após termos revogado essa cadeira de juizes passado durante a vida.

Deixo aqui outro vídeo bacana do cult Os Fantasmas Se Divertem, outra visão única e diferente sobre a morte...




E o que é post mortem?

Post mortem, que em latim latim significa depois da morte, pode referir-se a:

* Intervalo post mortem, o tempo decorrido após a morte de uma pessoa
* Estudos Postmortem, um método de pesquisa neurobiológico
* Postmortem (romance), um romance de Patricia Cornwell
* Post Mortem (livro), um livro de produção indepentente de Filipe Fukumoto 2008 (em andamento)
* Post-Mortem (peça), uma peça de teatro de 1932 escrito por Noel Coward
* Postmortem (filme), um filme de 1998 estrelando Charlie Sheen
* Post Mortem (jogo), um jogo de aventura de 2003
* Postmortem (banda), uma banda de death metal band de Berlim, Alemanha.
* Postmortem, uma canção do album de Slayer de 1986, Reign in Blood


Observações: Enquanto escrevia o post, vi a cena do filme que postei, e quando terminei ouvi uma musica trilha sonora do filme Deus é Brasileiro. Acredita em milagres? :)



Abs e tenha uma ótima semana

5 comentários:

  1. boa postagem...legal ver que tem mais gente que não segue a regra "post curtos dão mais audiência" em detrimento da qualidade do texto...
    abraços


    "post que os leitores virão"
    meus blogs:
    opinião
    www.pleberudeeignara.blogspot.com
    sobre São Paulo a cidade
    www.condominiopaulista.blogspot.com
    informatica, tecnologia, curiosidades digitais, noticias, nerdices, etc
    www.davintedigital.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. EU NEM GOSTO DE PENSAR NO ASSUNTO. APESAR DE SER ATIVSMENTE KARDECISTA, TEM COISAS QUE NAO SE EXPLICAM. SE VIVE.
    EU VIVO O DIA A DIA PARA SER FELIZ. SEESSA FELICIDADE VAI SE ESVAIR AMANHÃ, NADA POSSO FAZERR CONTRA. O QUE SEI É QUE DIANTE DE TAMANHOS DESAFIOS DA VIDA, ACABAR COM ELA NÃO ME PASSA NA CABEÇA.
    BKJS E DIAS FELIZES

    ResponderExcluir
  3. Julio, não penso muito sobre esse assunto que me deixa mal. Eu só de pensar que vou morrer entro em pânico. Ai meu Deus! Vou ler o post da Luma. Beijocas

    ResponderExcluir
  4. Oi Julio.
    Estou com a Yvonne. Não gosto de pensar muito no assunto - aqui está tão bom. Mas lembrei de um verso do Gil: morrer deve ser tão frio como na hora do parto.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. MENINOOOOOOOOOOOO

    Que post ,em????

    Arrepiante Júlio!

    ResponderExcluir