Meu primeiro dia de aula!

Nesta semana e na próxima, muitas crianças pequenas irão iniciar uma nova fase de vida e enfrentar uma grande aventura: ir à escola. As escolas de educação infantil em geral tratam esse período com muita atenção porque sabem que é um momento delicado para toda família. Levar os filhos à escola pela primeira vez, quando ainda são bem pequenos, não é tarefa das mais fáceis. Nem para os pais, nem para os filhos.

Normalmente, os pais ficam aflitos e surgem preocupações como: Será que a educadora vai entender o que significa aquele choro? Será que a criança sentirá a falta da mãe ao lado? Como será o comportamento do pequeno com os novos amiguinhos? "O segredo é fazer com que a criança explore bem o ambiente da escola para que comece a se acostumar com as novidades", explica Renata Podalka, coordenadora do Ensino Infantil do Colégio Santa Amália - Maple Bear.

Nesse período de adaptação, as crianças do Colégio Santa Amália - Maple Bear não ficam apenas na sala de aula: brincam na horta, no parque, na areia, ao ar livre. Música também é bastante utilizada para acalmar os pequenos. "A quantidade de horas que passam na escola na primeira semana aumenta gradativamente. Geralmente, são duas horas no primeiro dia e, no último, o período completo."

Crianças mais desenvoltas passam por esse período com mais facilidade. "As professoras começam a detectar as necessidades das crianças e as atendem. E os pequenos começam a se sentir mais seguros. Quem precisa de mais colo, tem mais colo, quem precisa descansar, descansa". Renata explica que, em um primeiro momento, as crianças pequenas costumam se apegar a um professor, depois passam a curtir essa nova fase e querem ficar mais tempo entre os novos amigos.

Para que as mães e pais fiquem mais tranquilos e consigam passar esse sentimento aos filhos, Renata dá algumas dicas: faça ao menos uma reunião inicial de apresentação e pergunte aos coordenadores e diretores tudo o que quer saber sobre a instituição, instalações, professores, etc. "Não fique com dúvidas". Renata explica que, ao ver a mãe insegura, a criança, que muitas vezes não está preocupada, fica insegura também.

No período de adaptação, que dura cerca de uma semana, procure seguir rigorosamente as instruções da escola. Renata ainda lembra: as crianças choram nesses dias porque enfrentam um mundo desconhecido. Mas, aos poucos, entram na nova rotina e se despedem dos pais na porta da sala com tranqüilidade.

Para Renata, a frase a ser cortada do vocabulário das mães é: "Não chora que a mamãe vai voltar" Assim que a criança ouve "chora" ela o faz e até acalmá-la novamente, pode levar um tempo. Ao final deste período, o que se vê são as mães chorando porque os filhos se despedem, entram na sala e dizem: "Pode ir mamãe, tchau!"

Agradeço à S/A Comunicação e a Carol Knoploch pela entrevista aqui citada. Renata Podalka e ao Colégio Santa Amália - Maple Bear.

Gostaria de aproveitar o assunto e colocar aqui uma imagem que gosto bastante -

Scuola di Atene de Raffaello Sanzio (1509)

abs,

2 comentários:

  1. Muito bom poder ir à escola. Pena que nem todas crianças vão ter esta oportunidade.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Os educadores sabem que a criança quando sabe que os pais estão por perto, ficam mais 'manhosas'. Já vi filhos choramingarem no portão dizendo não querer entrar para dentro da escola e uma vez dentro, longe dos olhos da mãe, correrem felizes e saltitantes. Ah, e ir para a escola não é o fim do mundo!! :=))) o contrário, né?

    ResponderExcluir