Sensation



Uma das maiores raves do planeta finalmente passou pelo país, mas e agora?

O Sensation, patrocinado nas terras brazuca pela Skol,prometeu inovações e uma nova experiência relacionado ao evento. Diria que foi 50/50... A inovação aconteceu, mas foi bem tímida.

O que tinha? Branco, alguns performances [ Sim, esperávamos bem mais por conta do buzz ], pirotecnia indoor [ousado, bacana],uma cabine de Dj giratória - o que foi bom para os DJs porque ficaram finalmente no hot spot da noite -, luzes, luzes e muitas luzes e a arvore tema do evento.

Apesar de estarmos em 2009 o Brasil ainda engatinha em evolução de ventos do estilo. O Skol Sensation ao menos mostrou que podemos inovar, temos espaço e público para isto. O evento é único em sua categoria por ressuscitar as festas exclusivas, temáticas e com um ar de one night only. Lembrou-me bastante de como faziam os antigos aristrocatas, já à anos... Uma mascara e tudo pode acontecer. No caso a mascara foi o branco e quase tudo poderia acontecer - bom senso né pessoal -.

Veja o vídeo do primeiro Sensation [v. White]. Ano 2000 em Amsterdam:



O evento nasceu em Amsterdam e por cinco anos ficou apenas por lá. Logo após, alguns bons investidores alastraram a idéia, o evento a partir de 2005 for para Polonia, Espanha, Chile, Alemanha, Belgica, Hungria, Republica Tcheca, Republica de Latvia [Norte Báltico da Europa], Rússia, Dinamarca, Lituânia, Portugal e agora Brasil. Mas a festa se consagrou mundialmente quando, em 2008, foi anunciado que o Sensation seria o evento da virada no ano novo em Melbourne, Austrália e também Barcelona, Espanha. Depois disto o céu virou o limite.

Assista a abertura do evento em Amsterdam no ano passado:



Grandes responsabilidades.

Vimos pelos vídeos que, se compararmos ao primeiro evento de 2000, até que nos saímos bem. Mas podemos fazer bem melhor, acredite. Problemas sempre ocorrem. Como por exemplo: A maravilhosa 'mania brasileira' de nunca chegar na hora. Isto acabou causando uma abertura do evento com a casa semi-lotada, acredite, o Skol Sensation só encheu após uma e trinta da manha. Boratto já havia tocado todo seu SET e entregado seu testemunho à imprensa.

Então pessoal, por favor. Que tal um esforço para chegarem ao horário? Já falei sobre os horários de brasileiro em outro post. Depois vejam lá.

Ops

"Desculpe, não nos informaram muito" Ai, ai, ai... Lá vem.

Como toda boa festa exclusiva sempre sobra para o pessoal da pista. Durante toda semana passeei pelos blogs que comentaram sobre o evento e também no twitter. Uma grade parte do pessoal da pista não gostou nem um pouco da organização - até agora não ouvi boatos de brigas, ilícitos ou afins, o que é bom - , mas o ponto preocupante é ter uma gama enorme de casting e crew que pouco sabiam sobre a estrutura... Poderiam eles ajudar em caso de necessidade? Não. Por isto tínhamos espalhados pela casa uma brigada de incêndio, alguns carros para emergências médicas e também guarda policial ao lado de fora. Olha, brincadeiras a parte, eu me senti no lugar mais seguro do planeta. Enquanto os seguranças cuidavam da parte de dentro, a brigada ficava de olho, o pessoal médico a postos e se eu sair ainda teria a guarda policial lá de fora. Mas por que tanta gente e pouca informação? Não sabemos. Mas posso afirmar que as duvidas que tivéssemos viria da necessidade de valer o ingresso pago: "Como assim você não sabe onde é a chapelaria? Tu ta trabalhando aqui!". Coisas deste tipo.

Desculpem aos navegantes, mas não irei comentar o bar por não passar pela experiência. Pelo que vi tinham muitas pessoas e sei que todos foram atendidos, atrasos a parte, mas atendidos.

Estrutura:

Já falei um pouco do que tinha no evento, mas darei meus parabéns à [boa] ousadia da organização. Quem iria imaginar que o som seria ótimo dentro do pavilhão do Anhembi? Quem visita sabe como é barulhento o lugar e acústica zero. Mas com uma infra-estrutura bem planejada esses que poderiam ser grandes problemas foram resolvidos com um bom planejamento e execução técnica.

E agora?

Well folks, agora é aguardar e ver se o Skol Sensation virá fixo em nosso calendário. Acho um erro levar o evento para outras cidades além de São Paulo ao menos por agora. Acredito que o evento teria que evoluir por aqui e depois se espalhar. Pelo primeiro foi ótimo, poderia ser espetacular. E será com certeza.

Agora indico ler o que o pessoal achou nos links abaixo:


Preview

Enquanto o branco é paz, fantasia, luz, imaginação, virgem e afim... Já a versão Black trás o lado obscuro da força e libera a fantasia a um nível mais hard, introvertido e rave gothic. Tema que da para brincar bastante também... Mas vem cá, de preto, dentro de uma balada, com mais 40 mil pessoas? Aguente o calor. Veja o preview do evento que aconteceu apenas a sete dias após o White em 2008 e logo após um vídeo do evento Black em 2007:





Site oficial do Sensation aqui. E do Skol Sensation aqui.

abs,

SP: Combate Anti-Tabaco

O projeto de lei do governador José Serra que restringe o cigarro em ambiente coletivo em todo o território estadual foi aprovado nesta terça-feira, 7, pela Assembléia Legislativa de São Paulo. Agora o projeto volta ao Palácio dos Bandeirantes para ser sancionado pelo governador. A aprovação é um marco nas ações voltadas à saúde pública no país e alinha São Paulo com as tendências internacionais no combate aos males causados pelo tabagismo.

A nova lei proibirá o fumo em ambientes de uso coletivo, incluindo bares e restaurantes. A proposta é abrangente e rigorosa, e tem o objetivo de combater um mal que mata 200 mil brasileiros por ano. "É uma medida em defesa da saúde pública", afirma o governador José Serra.

A restrição a ser adotada no Estado de São Paulo está em harmonia com o previsto em convenção da Organização Mundial da Saúde sobre o controle do tabaco,que foi ratificada pelo Brasil. O documento prevê que os países signatários impeçam, em ambientes fechados, a exposição de pessoas à fumaça do tabaco.

Não serão permitidas áreas exclusivas para fumantes, os "fumódromos". Isso porque já está provado que não há nível seguro de exposição à fumaça do cigarro, e áreas exclusivas para fumantes não eliminam completamente os riscos à saúde nem de clientes, nem de funcionários destes estabelecimentos.

Pela nova legislação, os responsáveis pelos estabelecimentos deverão advertir os infratores e, na insistência das pessoas, pedir que saiam do local, chamando a polícia, se necessário. Qualquer cidadão poderá denunciar às autoridades sanitárias ou de proteção ao consumidor, os locais onde a lei não for respeitada. Quem descumprir a legislação estará sujeito às sanções que vão de multa até a cassação da licença do estabelecimento. Somente serão excluídas da restrição os locais de culto religioso onde o fumo faça parte do ritual, instituições de saúde que tenham pacientes autorizados a fumar pelo médico responsável, vias públicas, residências e estabelecimentos exclusivamente destinados ao consumo de produtos fumígenos.

O texto final consolidado pela Assembléia Legislativa incluiu três emendas aprovadas pelo parlamentares. A de número 14 diz que o Poder Executivo deve possibilitar que toda a rede de saúde pública do estado preste assistência terapêutica e forneça medicamentos anti-tabagismo para os fumantes que queiram parar de fumar; a 16 reza que a lei entra em vigor 90 dias após a data da sua publicação no Diário Oficial; e a 17 prevê que o início da aplicação das penalidades deverá serprecedido de ampla campanha educativa, realizada pelo governo nos meios de comunicação de massa para esclarecimento sobre os deveres, proibições e sanções impostos por esta lei, alem da nocividade do fumo à saúde.

Agradeço a assessoria da Secretaria de Estado da Saúde.

Abs,

O Vereador, A Casa e os 6 Milhões

Depois do "deputado do castelo", surge agora em São Paulo o "vereador do palácio imperial". Em uma das regiões mais caras da cidade, o vereador Ushitaro Kamia (DEM-SP), está prestes a concluir a construção de uma mansão, toda em estilo japonês, avaliada em R$ 6 milhões.

Construído em uma área de 500 m² na Serra da Cantareira, o imóvel tem três andares, dois elevadores panorâmicos, três suítes, salão de jogos, sala de meditação e, ainda, uma cascata de pedra que desemboca nos jardins da casa que, sozinha, custou R$ 200 mil.

A mansão não consta na relação de bens entregue à Justiça Eleitoral e não foi declarada no imposto de renda do vereador, que preferiu colocar o imóvel no nome do cunhado.

Em entrevista ao repórter Agostinho Teixeira, da Rádio Bandeirantes, o promotor eleitoral Maurício Antônio Ribeiro Lopes afirma que já determinou que o caso seja investigado.

A reportagem completa pode ser ouvida no site da emissora:

http://www.radiobandeirantes.com.br/audios/ateixeira0604akamia.mp3


Agradeço ao pessoal, e todos os amigos da Radio Bandeirantes pela informação em primeira mão, sempre!

abs,

Mil Palavras



Um ótimo fim de semana à todos.

Abs,

A Crise e a Vida Familiar

A crise financeira não está afetando apenas os mercados, mas também as famílias de modo geral. Na visão do psicólogo, terapeuta familiar e diretor da Escola VinculoVida, Sebastião Alves de Souza, o desemprego, a pressão por resultados e a preocupação nos negócios, sobretudo, vêm gerando conflitos e desarmonia. “O momento requer uma reestruturação de hábitos, costumes, valores, atitudes e comportamentos de todos os membros da família”.

Como exemplo, o terapeuta cita uma família na qual o pai, executivo bem-sucedido, perde o emprego. “Mesmo que a mulher trabalhe”, observa, “geralmente os salários dos executivos incorporam plano de saúde, motoristas, bônus de viagem e outros benefícios. Quando isso é retirado, toda a família fica ressentida e cria-se motivo para brigas, desavenças, intolerância mútua e até mesmo incompreensão, consequências da necessidade de baixar o padrão de vida”.

Cada família enfrenta a crise à sua maneira: algumas se comportam com a esperança de que o momento turbulento passe logo. Outras ficam desesperadas e enlouquecidas, sentem-se à beira de um ‘colapso nervoso’. Na visão de Souza, a dificuldade deveria criar novas possibilidades de substituir o dinheiro. Porém, em muitas famílias, o padrão de vida elevado serve como pilar para a sua organização. “Nesse contexto, a crise financeira cria muitas turbulências entre seus membros”.

Saída - Para o terapeuta familiar, a melhor forma de enfrentar a crise financeira e manter a saúde psicológica familiar e de cada membro é, em primeiro lugar, reunir a família e fazer uma exposição da nova situação que está enfrentando. “Não podemos nos esquecer de que embora a realidade seja dura, as hipocrisias, mentiras e coisas não reveladas – como as fantasias – são enlouquecedoras e desagregadoras”.

Por isso, Souza adverte, ser necessário “que os responsáveis pela família tenham a humildade de pedir ajuda a todos para a contenção de despesas, deixando claro que cada um pode – e deve – contribuir para um novo projeto de restauração das finanças e configurar a nova forma de viver nesse momento que a família atravessa”.

“A solução para encontrar o equilíbrio e a harmonia está na capacidade da família de se reorganizar por meio da criatividade, da harmonia e até da ludicidade”, defende o psicólogo. E, diante do perigo e da ameaça, é necessário ‘agir para não sucumbir’ e, ao mesmo tempo, aproveitar as oportunidades para ser criativo, abrindo assim novas possibilidades.

O terapeuta acredita que é preciso – e possível - incorporar e internalizar aprendizagens, o que vai enriquecer todos os membros da família. “É somente nas crises que os seres humanos permitem o surgimento de recursos internos para saltar para outro nível de qualidade de vida, independentemente do uso do dinheiro”, explica.

Souza cita como exemplos, desenvolver a espiritualidade e a solidariedade. “Além disso, podem-se elaborar formas de convivência familiar que não estejam baseadas no excesso de aquisição de bens materiais e, portanto, equilibrar as dificuldades familiares sem fugir para o consumismo exacerbado”.

Agradeço aos terapeutas Sebastião Alves de Souza e Ângela Elizete Herrera. Também agradecer Simone Valente e Cristina Thomaz da Em Pauta Comunicação.

abs,