Água em questão

Quando chove assim lá fora e as idéias não se afogam, a gente tem que admitir outra vez que a água é um dos maiores bens naturais da natureza. Acho mesmo impossível, pro cidadão comum, leitor do Jornal do Brasil, do Globo, da Folha de S. Paulo, e até da Veja, imaginar a possibilidade de formas orgânicas sem a existência da água.

Mesmo elementos de nossa vida a que nem prestamos atenção no dia a dia – por exemplo, o chá sem torrada e o refigerante diet – dependem da água para seus urgentes efeitos diuréticos.

E também as Sete Quedas do Iguaçu [creio que até cachoeiras menores] não cairiam se não fossem constituídas de notável percentual de água. Embora ninguém possa ignorar certa participação da gravidade. Que, imperceptível, essa nunca nos falta, sobretudo como metáfora.

Mas é só olhar: a água, que, dizem, é dois terços do universo, nos cerca por todos os lados, exceto quando a bebemos e invertemos a situação, cercando ela. Dizem mesmo que o homem – e a mulher também, mas só as rechonchudinhas – se compõe de 95% de água, completando-se os 100% com dois dedos de uísque e três pedrinhas de gelo.

Está mesmo provado que todas as nossas células são feitas de água e vivem mergulhadas n’água, donde os antigos só falarem em nosso corpo como composto de humores, sobretudo o dos humoristas, mas acho que até o dos que não têm a menor graça.

Bom, além d’água, nossas células contêm proteína, albumina, benzina, buzina, sais minerais, creme de leite, vinagre e azeite. Tudo isso faz uma linfa [não confundir com ninfa, toda uma outra coisa] que, misturada com o que se está ingerindo no momento e ainda não teve tempo de se transformar em nada muito definido, dá um melê de meter nojo, que felizmente não se vê, mas, ao fim e ao cabo, sempre aquoso. Enfim, corpo humano sem água não dá papo.

Naturalmente, sendo o corpo cheio d’água, se você bebe água demais, o metabolismo, acho que porque não sabe nadar, tem que transformar essa água em outra coisa, não sei bem o quê, qualquer uma. Metabolismo é assim mesmo. Totalmente caótico com ar de extrema organização, igualzinho a repartição pública – ninguém sabe o que está fazendo, mas faz em quatro vias. Até na internet.

O fato é que todas as células acabam retendo os tais 95% de água, mais a dose do scotch e as três pedrinhas de gelo. E fazem bem em reter isso tudo, principalmente quando a gente está na estrada e o rapaz do posto de gasolina saiu com a chave do toalete.

--

Esta crônica faz parte do Movimento Blog Action Day - Climate Change, no próximo dia 15 de Outubro. Participe.



Abs,

2 comentários:

  1. Hehehe, fiquei com sede.

    Um abraço e bom feriadão.

    ResponderExcluir
  2. Agua é tudo que tem vida.
    Gostei do post!

    Abraços!

    ResponderExcluir