Táxi, Eu e Deus

Atualmente no planeta somos em aproximadamente 7 bilhões de pessoas (e contando), em nossos primeiros caminhos, vemos a luz, aprendemos a reconhecer os momentos e cada segundo de sua vida é uma experiência nova, empolgante e intrigante. Lembra quando, pela primeira vez, você sorriu ainda bebê? Pois é, seus pais lembram e em seu cérebro isto marcou tanto que até hoje você consegue sorrir. Seja por qual motivo, vamos deixando para trás essas novas experiencias mas, basicamente, porque estamos vivendo outras novas.

Ao longo da sua vida você entende que há apenas uma maneira de entender o que entra em seus pulmões, por que o céu é azul ou porque você simplesmente tem gases de vez em quando... Pelo conhecimento. Estudos! Receptores em eterno funcionamento existem em sua cabeça loucos para serem saciados de novidades...

Chega um momento da vida que você simplesmente entende o quanto isto aqui já estava errado, vê a verdade logo a frente mas percebe que você é só um SIM em meio a multidão dos NÃO. Isola-se e tenta refletir, acabando exatamente na frase-questão:

Deus existe?

Deixando de lado qualquer tipo de religião, crença ou venturas linguísticas implicatórias complicadíssimas, vamos ao que interessa. Não posso responder, simples.

Meu nível de conhecimento é baseado em todas as páginas de um livro, páginas de caderno, lousa, hieróglifos e desenhos que já vi e reconheci até então. Me saciando de todas as dúvidas que me surgem a cada momento, sempre têm esse meu oraculo a minha disposição. Esse que tem muitas formas, estilos, tamanhos, personalidades e humores diferenciados. Às vezes ele é burro que da dó, e outras vezes é meu Einstein particular. Este que falo a vós é simplesmente um livro.

Segundo Wikipedia:

"Livro é um volume transportável, composto por páginas encadernadas, contendo texto manuscrito ou impresso e/ou imagens e que forma uma publicação unitária (ou foi concebido como tal) ou a parte principal de um trabalho literário, científico ou outro."

Além deste físico e lógico explicativo, lhe digo... Um livro pode ser o que mais procura, obter o mais desejado e saciar as maiores dúvidas do seu universo particular.

Ao perceber isto o ser humano simplesmente evoluiu, conseguiu se comunicar melhor e compartilhar (!!) as palavras mais sensatas (ou não) de tudo que existe.

Você cresceu, aprendeu amadureceu mas ainda sim, não se acha digno de mover as montanhas de grandes problemas mundiais. Como lidar? Já aprendeu que a vontade e o desejo quando a dois é mais forte, imagine quando 7 bilhões pensarem similar? Sou tão apegado aos meus livros que tinha esquecido simplesmente em investir nas pessoas. Conhecimento já conquistado para compartilhar é uma dádiva de poucos. Por isto existe o projeto Bookcrossing. (leia mais aqui)

Basicamente a ideia seria você entregar um livro, um conhecimento que muito estima, ao próximo e deixar este livro livre! Deixando ele chegar à lugar diferentes, pessoas distantes, seres pensantes que podem não falar a mesma língua mas entenderá o recado do livro. No popular: Gente, como a gente, gente humana.

Você tem a oportunidade de espalhar tudo que aprendeu na vida, com um pequeno gesto. O mundo é assim, e se você é leitor assíduo entende que, o mundo sempre foi assim. Neste projeto, em versão brazuca, iniciado com Isadora, apoiado por minha Luz e todos nós, participei com um unico pensamento, estou compartilhando algo maior que meus pensamentos, um livro que me entregou um ponto de vista. Compartilhar um livro ( e não um mero link ) me daria um caminho a mais de ir além das fronteiras de telas e e-mails, chegaria as mãos de alguém. Um ser humano com as mesmas dúvidas, outros anseios e desejos, mas no mesmo sentimento de viver muito mais a vida que tem.


O livro escolhido para compartilhar é um que já passou por várias mãos em meu empréstimo, "Explicando Deus Numa Corrida de Táxi" de Paul Arden é tão simples e tão complicado ao mesmo tempo. Não pela leitura, mas por quem lê. Se você for no site do Americanas.com o verá a sessão de Religiosos, se for na Livraria Cultura, estará como Auto Ajuda e se for no Submarino o verá na sessão de Comunicação. "Mas Julio... Vem cá, o que é este livro, afinal?"


Autor: Paul Arden
Tradução: Roberto Mugiati
Editora: Intrínseca
Origem: Nacional
Ano: 2009
Edição: 1
Número de páginas: 128
Compre aqui

Como citei acima as próprias pessoas que o vendem não o leu, não entendeu e não teve a mente aberta para tal. É simples, é rápido é prazeroso, e acredite, é indolor. Paul Arden examina a relação do homem com o divino de maneira objetiva, inteligente e muito rápida, no percurso de uma corrida de táxi.

Vi em alguns blogs que, por ser de Paul, estaria ali um texto de um ateu escondido por dentre as palavras inteligentes. Minha opinião sobre o livro, ele nada diz e tudo cita. rá!

Eu li, reli e ao terminar senti um abraço em meus pensamentos. Um reconhecimento de tudo que já li e percebi que continuam fazendo sentido ao meu ver. Meu caminho para esta procura simbólica de Deus continuará, mas desta vez mais desperto de que não sou o único por aqui.

Em todas as vezes que emprestei, as pessoas gostaram, cada um entendeu em seu ponto de vista, mas todos tiveram a mesma impressão ao terminar, ... Não direi qual, terá que ler!

E onde "eu esqueci"? Em um táxi, claro! Entreguei nas mãos de um taxista que me fez a seguinte pergunta - e por ventura, suas primeiras palavras para mim -: "Para onde vamos, Senhor?" Minha resposta? "É o que todos nós perguntamos nesta vida." E assim seguimos nosso caminho em um bate papo sobre o assunto.

Entreguei a ele com apenas uma restrição. Ao terminar, ele teria que entregar para uma próxima pessoa. E assim foi minha participação, lúcida, espiritualista pé no chão, curiosa e que me permitiu absorver mais este conhecimento e experiência de vida.

A ideia continua viva lá no blog da Isadora e com selinhos da Lu. Participe da próxima e, quem sabe, poderá responder suas dúvidas como nosso personagem taxista de hoje.


abs,

Um comentário:

  1. Preciosa dica, Júlio. Vou dar um pulo na Feira do Livro de POA - hoje é o último dia - e ver se encontro um exemplar (com desconto, naturalmente..). Talvez me ajude na relação com o criador, desde sempre conflituosa.
    Um abraço.

    ResponderExcluir