Promoção Mascote de Pelúcia do IG

Update - Dia  7 de Janeiro de 2011

E a ganhadora foi: Ingrid Nunes - Parabéns
--http://sorteie.me/1Bod - Confirmação
--

Como prometido, tem mais um presente para você, leitor do Pub. Um cachorrinho mascote de pelúcia do IG

Neste ano, o cachorrinho ficou mais conhecido no social como #mascotedobem. A idéia era simples, só tuitar com a hastag #mascotedobem e o IG iria doar os mascotes do IG para crianças da Casa do Zezinho e do Instituto Anglicano. Foram, no total, 13,209 tweets/mascotes entregues. Você pode conhecer o projeto aqui.

Fotos do mascote no projeto:


Então, animou-se para faturar um? :)

Qual a moral de 2010?

O universo é bem grande,
sua "cabeça" não precisa ser pequena.

Abs

Apenas... Natal.



abs

#doeumlivro

Mais uma vez o twitter, com seus 140 toques, mostra-se um poderoso aliado da cultura e da sociedade como um todo. A campanha #doeumlivro comemora esta semana a marca de 15 mil livros recebidos.

A abrangência e legitimidade da campanha foram garantidas quando o #doeumlivro ganhou o apoio do Conselho de Secretários Estaduais de Educação (Consed), que abriu as portas das Secretarias de Estados de Educação para que os livros sejam recebidos; e da Droga Raia, que disponibilizou suas 354 lojas para a doação de livros (em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná).  Este ano a campanha tem o apoio da Fundação Abrinq, do Exército da Salvação, da Sempre um Papo e da Ong Visão Mundial. A entrada do Rotarct e da Wizard deixam a campanha ainda mais forte, com locais para doação em quase todos os estados brasileiros.

Quando começou?

Promoção de Natal | Pane di Toni | Panettone #Bauducco

Todo fim de ano, algo diferente sempre aparecia nas prateleiras das lojas alimentícias. Sempre fiquei curioso do por que nunca poderia encontrar esse produto em outras épocas. Eis que a maior marca deste produto me entrega uma das melhores histórias natalinas:

Era uma vez um pobre ajudante de padeiro chamado Toni que vivia na região de Milão, Itália. Como todo aprendiz de ofício da Idade Média, Toni trabalhava horas a fio sem descanso. Na gelada véspera do Natal do ano 900, o sol já tinha se posto há algumas horas, quando o patrão mandou que Toni preparasse mais uma fornada de pães e, ao mesmo tempo, começasse a montar a torta de Natal para ele, sua família e seus convidados comerem naquela noite depois que o rapaz fosse embora. 

Neste dia, Toni sentia dores nas costas e muito sono, pois além de ter amassado o pão o dia inteiro, havia passado a noite anterior aos pés da cama da mãe doente. Sem querer, derrubou as uvas passas, que eram para a torta, na vasilha onde descansava a massa do pão. Desesperado e temendo ser açoitado, não disse nada. Tentou salvar a situação jogando as frutas cristalizadas, manteiga, ovos, e os demais ingredientes do recheio que seria originalmente da torta na massa de pão e a adoçou. Toni assou a mistura e entregou para o patrão assim mesmo, deixando o castigo para o dia seguinte.

Na manhã seguinte, no entanto, Toni ficou surpreso quando, ao chegar ao trabalho, foi recebido pelo seu patrão com um sorriso largo ao passo que o felicitava por sua receita maravilhosa, à qual chamou de "pane di Toni" (pão do Toni). O doce, que mais tarde viria a ser conhecido como panettone, tinha deslumbrado os convivas da noite anterior e não tardou a fazer sucesso entre os senhores das casas mais nobres da região. Toni virou sócio de seu ex-patrão, os dois ganharam muito dinheiro com a receita e foram felizes para sempre.