Pequenas dúvidas...


- Mamãe, como tudo começou?
- Como se a mamãe estivesse encontrado com a eternidade e fizesse a paz com o paraíso.
- E como foi, mamãe?
- O dia nunca terminou. Uma ternura, uma paz e nosso amor.
- A senhora sorri quando diz...
- Sim, meu amor. É desse dia eterno que tudo veio acontecer.
- E o papai?
- Com uma carinha de menino, com atitude de homem, me ajudou a criar tudo isso que sente e vê.
- E como será quando eu crescer?
- Estaremos ao seu lado, com todo esse amor que temos por você.
- Vocês ficarão sempre juntinhos?
- Somos um só, e você, é a nossa confirmação de tudo que sentimos, do tanto que podemos mudar neste universo. Nosso anjinho de esperanças e pureza.
- Eu te amo, mamãe. . .
- Eu te amo, meu presentinho do céu.

...durma bem.

2 comentários:

  1. Oi Julio,
    muito interessante esse questionamento de um filho sobre se o amor do momento de criação ainda se mantém entre os pais. Lindo isso!
    Nossa coletiva fica mais rica e completa com a sua participação.
    Sem duvida que um filho é a confirmação de um grande amor, quando os dois se mantém juntos para o criar e amar.
    Abraço além-mar.
    Rute

    ResponderExcluir
  2. Olá, Júlio
    Desculpe-me passar por aqui só agora, é que estou numa Missão há 3 meses e sem tempo de ficar na net...
    Lindo o seu diálogo e puro como deve ser o verdadeiro amor!!!
    Seja feliz e abençoado!!
    Abraços fraternos de paz

    ResponderExcluir